EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

13 de Julho de 2020

Parceria com operadores irá garantir 5 mil testes para Covid-19 em trabalhadores do Porto de Santos

Esta é a segunda etapa de uma campanha que também visa testar os funcionários da Autoridade Portuária de Santos

Os cerca de 5 mil testes de covid-19 em trabalhadores avulsos do Porto de Santos serão viabilizados através de uma parceria entre o Ministério da Infraestrutura, o Ministério da Saúde e os operadores portuários. Esta é a segunda etapa de uma campanha que também visa testar os funcionários da Autoridade Portuária de Santos.

O plano do governo de testar os avulsos, entre eles estivadores, vigias e conferentes de carga e descarga, foi revelado pela deputada federal Rosana Valle (PSB). A parlamentar havia solicitado os exames ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, no dia 15 de maio.   

Segundo a deputada, que preside a Frente Parlamentar para o Porto de Santos, na Câmara Federal, os avulsos, ao lado dos práticos, são os mais expostos aos riscos de contaminação pela doença. “Mais relevante do que a adoção de medidas que visam à continuidade da prestação dos serviços, circulação e abastecimento de insumos, mercadorias e itens básicos necessários no cotidiano da população brasileira, é o implemento de ações que tratam da preservação da segurança e saúde do capital humano que atua no segmento portuário”. 

Questionada, a pasta informou que estão em andamento os planos de uma parceria com o Ministério da Saúde. Os operadores portuários, responsáveis por repassar os rendimentos do avulsos ao Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo), também farão parte da iniciativa.  

“São tripulações que chegam no Porto de Santos vindas de várias partes do mundo, inclusive de países afetados pela doença, de forma que a intervenção da deputada em nosso favor foi providencial nesse momento delicado”, disse o presidente do Sindicato dos Operadores de Guindastes e Empilhadeiras, Paulo Antônio da Rocha. 

Autoridade Portuária 

Em paralelo, a Autoridade Portuária de Santos está na iminência de contratação de laboratório para a realização da testagem. Em uma primeira etapa, serão testados os trabalhadores que estão atuando na empresa de forma presencial.  

Isto porque, seguindo determinações do Governo Federal, funcionários com mais de 60 anos estão em regime de home office ou afastados de suas funções. O plano também abre a possibilidade de que, em um segundo momento, trabalhadores do grupo de risco também sejam testados.  

Procurado, o Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paaulo (Sopesp) preferiu não se posicionar sobre a questão.

Tudo sobre: