Nitrato de amônio, que causou explosão no Líbano, é produzido no polo industrial de Cubatão

Composto químico é utilizado para diversos fins, como fertilizante e na mineração e em explosivos civis

O nitrato de amônio é produzido em Cubatão, no Complexo Industrial da Yara. A empresa, especializada em fertilizantes agrícolas, atua em escala global na produção, mistura, armazenamento e distribuição do insumo. 

Trata-se de um composto químico utilizado para diversos fins, entre eles como fertilizante e, em grau técnico, na mineração e em explosivos civis.  

Segundo a empresa, a manipulação do produto segue políticas, manuais, diretrizes e procedimentos que garantem a segurança das operações de produção, armazenamento, mistura, ensaque e transporte do fertilizante.  

A Yara disponibiliza para as comunidades no entorno de suas unidades o Linha Verde, um canal de comunicação que funciona 24 horas por dia pelo telefone (0800-8801885) e que pode ser utilizado para dúvidas, reclamações, sugestões e comentários a respeito das questões ligadas à empresa. 

De acordo com a Associação Nacional Para Difusão de Adubos (Anda), por ser um fertilizante de alto teor de nitrogênio, um nutriente vital para as plantas, é utilizado em larga escala para melhoria da produtividade dos solos agrícolas brasileiros. Devido a suas propriedades químicas, requer cuidados especiais em sua armazenagem, manuseio, transporte e aplicação.  

A entidade aponta que todos os fertilizantes à base de nitrato de amônio são, em condições normais, substâncias estáveis que não apresentam risco e não são inflamáveis. Eles podem se decompor apenas se expostos a condições inadequadas de calor, contaminação ou confinamento. Caso isso ocorra, pode ocasionar o aumento da intensidade do fogo ou mesmo causar explosões, desprendendo fumaça tóxica e gases.  

No entanto, estes riscos são eliminados se observadas as regulamentações e recomendações do Exército Brasileiro.

Tudo sobre: