EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

3 de Julho de 2020

Neubarth é o novo delegado da Alfândega no Porto de Santos

Nomeação foi publicada nesta terça-feira, no Diário Oficial da União. Ele substitui Cleiton Alves dos Santos João Simões, que ficou oito anos no cargo

O chefe da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Alfândega de Santos, Richard Fernando Amoedo Neubarth, é o novo delegado da Alfândega da Receita Federal do Brasil no Porto de Santos. A nomeação foi publicada nesta terça-feira (30), no Diário Oficial da União. 

Neubarth substitui Cleiton Alves dos Santos João Simões, que ficou oito anos no cargo. A mudança é aguardada desde fevereiro, quando completou o mandato do delegado. A escolha aconteceu após um processo seletivo interno da Receita Federal iniciado no ano passado. 

Neubarth ingressou na Receita Federal em janeiro de 2002, na Inspetoria da Receita Federal em Corumbá (MS). Em agosto de 2004, ele passou a atuar na Alfândega de Santos. 

Dois anos depois, passou a se dedicar à área de combate a crimes. Depois, em 2009, foi nomeado chefe da Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho da Alfândega de Santos em 2009. 

Esta área também é responsável pelas apreensões de drogas no cais santista. No ano passado, 27 toneladas de entorpecentes foram flagradas no cais santista. De janeiro até ontem, outras 10,4 toneladas foram interceptadas no complexo.  

A avaliação de auditores da Receita é a de que cada quilo da droga pode valer US$ 50 mil (mais de R$ 200 mil) na Europa. O crescimento das apreensões no Porto de Santos pode ser resultado de vários fatores, incluindo aumento de produção, do tráfico e das ações de fiscalização, como o uso de tecnologias. 

Novo posto 

Segundo a Alfândega, o auditor-fiscal Cleiton Alves dos Santos João Simões, que atuou no cargo de delegado deste fevereiro de 2012, continuará na aduana. No entanto, não foi revelado o novo posto do profissional.  

O uso de tecnologias que modernizaram procedimentos, como a implantação da Central de Operações e Vigilância (COV) e o escaneamento de contêineres, que possibilitou um salto na apreensão de drogas no Porto de Santos, foram destaques da gestão de Simões. Outro foi a criação do Centro de Atendimento ao Contribuinte, que funciona no térreo do edifício-sede da Alfândega, no Centro de Santos.

Tudo sobre: