Leilão arrecada R$ 87,5 milhões

Segundo o Minfra, os portos irão atrair mais de R$ 400 milhões em investimentos nos terminais

O Ministério da Infraestrutura (Minfra) arrecadou R$ 87,5 milhões em outorgas com o leilão dos quatro terminais portuários localizados em Alagoas (MAC10), Bahia (ATU12 e ATU18) e Paraná (PAR12), realizado na última sexta-feira (18) na sede da B3, em São Paulo. Segundo a pasta, os portos irão atrair mais de R$ 400 milhões em investimentos nos terminais.

Clique e Assine A Tribuna por R$ 1,90 e ganhe acesso ao Portal, GloboPlay grátis e descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Os vencedores do leilão foram Timac Agro Indústria (MAC10), CS Brasil Transportes (ATU12 e ATU18) e Ascensus Gestão e Participações (PAR12). 

Os terminais ATU12 e ATU18 foram arrematados por R$ 62,5 milhões (ATU12 - R$ 10 milhões e ATU18 - R$ 52,5 milhões). Ambos movimentam e armazenam granéis sólidos. O porto organizado onde os terminais estão inseridos funciona como rota de escoamento da produção e importação do Polo Industrial de Camaçari. Estão estimados R$ 365 milhões de investimentos nos terminais. 

O terminal MAC10 foi arrematado por R$ 50 mil em outorgas. Ele é destinado à movimentação e armazenagem de granéis líquidos, especialmente ácido sulfúrico. A demanda por produtos químicos no porto organizado é influenciada pela presença do Polo Cloroquímico de Alagoas. Os investimentos previstos são de R$ 12,7 milhões. 

Concluindo a rodada, o terminal PAR12 foi arrematado por R$ 25 milhões em outorgas. Ele foi arrendado para movimentação e armazenagem de carga ro-ro, que é o tipo de carregamento que se desloca sobre suas próprias rodas, ou em cima de equipamentos específicos, como a produção automobilística. Para este terminal, estão previstos investimentos de R$ 22,2 milhões. 

No Twitter, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, comemorou o resultado do leilão. “Mais 4 terminais portuários para a conta, presidente @JairBolsonaro”, postou o titular da pasta da Infraestrutura.

Ferrovias

Antes do leilão, os termos aditivos de prorrogação dos contratos de concessão da Estrada de Ferro Vitória-Minas (EFVM) e da Estrada de Ferro Carajás (EFC), ambas administradas pela Vale S/A, foram assinados, também na capital paulista, pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a concessionária. Com a renovação antecipada de concessões das ferrovias, são esperados investimentos de mais de R$ 17 bilhões nos próximos 30 anos, além de R$ 4,6 bilhões em outorgas. 

Tudo sobre: