EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

29 de Março de 2020

Costa Fascinosa prepara retorno à Europa só com tripulantes a bordo

Trabalhadores brasileiros que não aceitaram seguir viagem, tendo em vista pandemia de coronavírus, tiveram contratos rescindidos e desembarcaram em Santos

O navio Costa Fascinosa aguarda liberação para retornar à Europa com tripulantes de diversas nacionalidades a bordo e em quarentena, por conta da pandemia de coronavírus. Os brasileiros que não aceitaram seguir viagem tiveram seus contratos rescindidos e desembarcaram no Porto de Santos, na última terça-feira (17). A embarcação está na área de fundeio, na Barra. 

De acordo com um tripulante que desembarcou em Santos e que prefere não se identificar, para os profissionais que optaram por não retornarem à Europa, a Costa pagou os dias trabalhados em março. Além disso, arcou com 30% sobre o salário mensal. 

“Eu tinha grandes planos para fazer com o dinheiro que iria receber durante os meses de contrato com a Costa. Agora, não poderei fazer mais nada. Por conta de toda essa situação, sairei apenas com US$ 250 (o equivalente a cerca de R$ 1.255)”, afirma o tripulante do Costa Fascinosa que teve seu contrato rescindido. 

Segundo o marítimo, na reunião realizada com tripulantes e supervisores antes da atracação no Porto de Santos, os profissionais foram informados que “quem optar ficar tem que saber que está correndo o risco de pegar o vírus”.

A maior preocupação do tripulante é com os demais trabalhadores do navio que são de outras nacionalidades. Ele diz que a maioria destes funcionários optou por seguir a bordo. Isto porque dependem do dinheiro para sustentar suas famílias. 

“Todos temos famílias para cuidar. Vai que os tripulantes se infectam com o coronavírus nesta viagem e seus entes queridos acabam os perdendo por bobeira”, desabada o tripulante, que considera que seria mais prudente se a companhia fizesse um acordo com todos os tripulantes, pagando viagens de retorno à seus respectivos lares.

Procurada pela Reportagem, a Costa Cruzeiros não informou quantos tripulantes desembarcaram e quantos seguiram a bordo do navio - entre brasileiros e demais funcionários. Além disso, segundo a companhia, não há previsão de chegada do Costa Fascinosa na Europa, assim como o desembarque dos marítimos. 

Última viagem

A última viagem com passageiros do Costa Fascinosa teve fim na última terça-feira (17). A partir de agora, conforme comunicado oficial, todos os cruzeiros da Costa estão suspensos temporariamente, ação que impactará as viagens que já estavam previstas até 3 de abril. 

“Desde o início do surto da Covid-19, a Costa introduziu uma série de ações preventivas a bordo de seus navios para garantir a segurança e a saúde dos hóspedes e da tripulação, adotando procedimentos de triagem adicionais para o embarque e reforçando o saneamento a bordo”, reafirma a empresa.

Quanto aos contratos rescindidos, a Costa Cruzeiros apenas confirmou que, em conformidade com a legislação local e com os contratos em vigor, foram oferecidas alternativas à seus colaboradores: “continuar a bordo do navio até a data de desembarque ou rescindir o contrato sem aplicação de nenhuma penalidade até a data de desembarque”.

Tudo sobre: