Conheça o Porto: Os portos concentradores

O modelo de Hub Port é opção para otimizar a logística das operações portuárias

Formato bastante utilizado nos países norte-americanos, asiáticos e europeus, o modelo de Hub Port ou porto concentrador de carga (em contêineres ou a granel) é opção para otimizar a logística das operações portuárias. 

Esses complexos têm localização estratégica e são dotados de grande profundidade, bem como amplo comprimento e largura para suportar as operações e receber navios de grandes dimensões. 

Suas atividades para importação e exportação de mercadorias utilizam linhas de navegação de longo curso, costeira e de cabotagem. Para os terminais hubs, trabalhar com cargas conteinerizadas facilita e assegura as operações de transbordos (desembarque para posterior reembarque). 

O sistema busca alavancar o fluxo de comércio, desempenho, custo operacional e resultados ambientais, além de reduzir o transporte de carga rodoviária, com a substituição pelo transporte costeiro. Isso porque, nas importações, os portos concentradores de carga podem ser ponto de desembarque das navegações de longo curso. 

Elas conseguem cruzar longas distâncias fazendo um número menor de escalas, pois toda mercadoria destinada a determinada região é desembarcada nesse complexo marítimo, o principal daquela área. 

Após chegarem ao porto concentrador, as cargas são embarcadas em navios menores, de linhas de cabotagem (transporte de carga e passageiros entre portos de um mesmo país). Nesse caso, essas são operações feeder, pois transportam as cargas entre o hub e portos menores que ficam na sua área de influência. 

A mesma operação pode ocorrer no sentido contrário, para as cargas de exportação.

A consolidação dos portos concentradores de carga no Brasil consta como objetivo do programa BR do Mar do Governo Federal, que deve ser apresentado oficialmente no próximo mês.

Tudo sobre: