Audiência pública vai debater implantação de terminal de gás no Porto de Santos

Sessão ocorrerá virtualmente. Obras podem ser iniciadas no próximo ano

Os detalhes e os impactos da implantação de um Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Porto de Santos serão discutidos nesta terça-feira (15), em uma audiência pública. O público poderá participar de forma virtual. 

O terminal é um empreendimento planejado pela Compass, empresa criada pelo Grupo Cosan para reunir os negócios de gás e energia da empresa de infraestrutura. Na audiência pública, promovida pela Prefeitura de Santos, serão debatidos os impactos do Estudo Prévio de Impacto de Vizinhança do emprendimento. 

De acordo com o projeto, o novo terminal será construído paralelamente ao alinhamento do canal de navegação do Porto de Santos, entre a Ilha dos Bagres e o Canal de Piaçaguera. A ideia é que ele amplie a distribuição de gás natural na região. 

Por outro lado, o plano é criticado por ambientalistas que temem acidentes e até explosões na região. O tema deverá ser discutido na audiência pública. 

A Tribuna apurou que o terminal foi projetado para uma capacidade de recebimento anual de 3,4 milhões de toneladas de GNL, a partir de um fluxo máximo de 40 navios por ano. A demanda esperada é de cerca de 40% desta capacidade com atracação e operação de até dois navios de GNL por mês.

De acordo com o diretor-presidente do Grupo Cosan, Luís Henrique Guimarães, a previsão é de que as obras do terminal de Regaseificação sejam iniciadas já no próximo ano. E a entrada em operação deve ficar para 2022. 

Com isso, a previsão da Compass é de que a oferta alta de energia amplie e desenvolva a atividade industrial da região. Isto porque hoje, o Estado de São Paulo é abastecido pelo gás vindo da Bacia de Campos, no Rio de Janeiro.

Detalhes

A audiência pública virtual será nesta terça-feira, às 17 horas. Todos os detalhes estão disponíveis no site da prefeitura

Os interessados em contribuir, deverão enviar, por escrito, os apontamentos até as 12 horas do dia da audiência pública. Já para quem quer fazer o uso da palavra durante o evento deve informar até as 14 horas da segunda-feira. 

Serão disponibilizados dois locais para que pessoas que não tenham acesso à internet possam acompanhar a audiência pública. Um deles é o centro administrativo da Prefeitura de Santos, que fica na Rua D.Pedro II, 25, no Centro. 

Há também a possibilidade de participar na Unidade Municipal de Ensino (UME) Noel Gomes Ferreira, na Rua Caramuru do Caruara, 631, no Caruara. 

Tudo sobre: