EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

23 de Outubro de 2019

Advogada e marido são assassinados em chácara, em Peruíbe

Casal estava em propriedade quando autor do ataque chegou com espingarda e facão

A advogada Marleni Fantinel Ataíde Reis, de 68 anos, e o marido dela, o estivador Márcio Ataíde Reis, de 46, foram assassinados em uma chácara na área rural de Peruíbe, na tarde desse sábado (3).

De acordo com o Boletim de Ocorrência, a Polícia Militar estava em patrulhamento quando, acionada pela Central de Operações da PM (Copom), atendeu uma ocorrência de disparo de arma de fogo na Estrada do Bambu.

Chegando lá, os policiais se depararam com Marleni caída no chão com diversas perfurações de faca. Perto dela estava Marcio, também no solo com um tiro nas costas.

Enquanto esperava socorro, Marleni contou aos PMs que o autor do ataque era um homem que ela havia acionado, como representante de uma cliente, em uma ação judicial. Após a conclusão do processo, o homem, que perdeu a ação, passou a ameaçá-la de morte.

Ela disse que estava na chácara quando o assassino entrou lá com uma espingarda e atirou em Marcio, que morreu no local. Marleni saiu correndo, mas foi perseguida e alcançada pelo autor. Ele desferiu golpes de faca e facão na advogada.

Advogada Marleni Fantinel Ataíde Reis morreu com golpes de faca e facão (Foto: Reprodução/Facebook)

Com vida, Marleni chegou a ser levada por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Peruíbe e depois transferida para o Hospital Regional de Itanhaém, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Peritos da Polícia Técnico-Científica estiveram no local. A motivação do crime será investigada. O caso foi registrado na Delegacia Sede de Peruíbe. Ninguém foi preso.

Medidas

O coordenador geral da Comissão de Direitos e Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Santos, Emerson Toro de Abreu, esteve em Peruíbe para coletar as primeiras informações sobre o crime.

Segundo Emerson, o presidente da OAB São Paulo, Marcos da Costa, está em contato com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) para cobrar o esclarecimento do caso.

Marleni morava em Santos e atuava principalmente na área criminal. Ela costumava passar finais de semana na chácara em Peruíbe.

Repúdio

Em nota, a subseção Peruíbe da OAB manifestou "repúdio por mais uma agressão ao exercício da advocacia e pede rigorosa apuração e providências cabíveis, inclusive com a segurança das partes e demais advogados envolvidos na motivação do crime".

A subseção Santos da OAB também expressou "profundo repúdio" do que chamou de "brutal assassinato" e "irrestrita solidariedade à família desta advogada".

A OAB Santos classificou o crime como uma afronta a toda a advocacia. "Quando se cala a voz daquele que busca a Justiça por alguém, no exercício de sua profissão, se cerceia uma liberdade individual", disse o presidente da entidade, Luiz Fernando Afonso Rodrigues.

Tudo sobre: