EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

11 de Dezembro de 2018

Saldo líquido de emprego formal foi positivo em 57.733 vagas em outubro

Resultado ficou abaixo da mediana da expectativa de mercado

O Brasil registrou a criação de 57.733 novas vagas com carteira assinada em outubro de 2018, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (21), e antecipados pelo presidente Michel Temer no Twitter. O resultado ficou abaixo da mediana da expectativa de mercado. O intervalo das projeções apontava para criação entre de 29 mil a 154 mil novos postos.

O resultado de outubro decorre de 1.279.502 admissões e de 1.221 769 demissões. O dado inclui os contratos firmados já sob as novas modalidades previstas na reforma trabalhista, como a jornada intermitente e a jornada parcial.

Com esse resultado mais os ajustes feitos em meses anteriores - que incorporam declarações de contratação ou demissão feitas fora do prazo -, o saldo do Caged em 12 meses ficou positivo em 444.483.

Em 2015 e 2016, o País eliminou mais de 3,5 milhões de vagas formais. Em 2017, o mercado de trabalho melhorou, mas não escapou de um saldo ficou negativo em 20,8 mil postos.

Setores

Os serviços abriram 34.133 postos com carteira assinada em outubro, e o comércio teve saldo positivo de 28.759 novas vagas no período. Juntos, os dois setores comandaram as contratações no mês passado.

A indústria de transformação gerou 7.048 vagas formais em outubro, enquanto a construção civil ficou com saldo positivo em 560 postos.

Mas o saldo final acabou sendo afetado pelas demissões na agricultura, que teve contratação líquida de 13.059 postos. Boa parte das vagas foi cortada no setor de cultivo de soja e no segmento de produção de sementes.

A administração pública também demitiu (-353), e o setor de extração mineral criou 377 novas vagas.