EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

18 de Julho de 2019

Quantidade de água que cada pessoa deve beber depende de muitos fatores

Peso, profissão, clima e intensidade de atividade física tem que ser levados em conta

Qual a quantidade certa de água que se deve tomar por dia? Muita gente faz essa pergunta. A resposta, entretanto, varia, dizem os especialistas. O peso, a profissão, o clima e a quantidade de atividade física devem ser levados em conta.
“No geral, a gente indica de 2,5 a 3 litros de água por dia”, afirma a médica nutróloga Marcela Voris.

Segundo ela, dentro desse limite, os homens devem consumir mais do que as mulheres. Se o dia estiver quente, a quantidade deve ser maior. Quem pratica exercícios físicos com regularidade e intensidade ou trabalha de baixo de sol forte também precisa beber mais água.

A médica nefrologista Rosina Dal Maso diz, ainda, que pessoas gordinhas são mais desidratadas e, por isso, precisam de mais água.

“Gente que come fora de casa também. Por exemplo, muita lanchonete, muito hambúrguer, salgadinho, esse povo tem de consumir mais líquido para evitar cálculos renais”, alerta.

Dicas

Pessoas que trabalham sob altas temperaturas, como pizzaiolos, funcionários de alto-forno ou garis, por exemplo, devem se hidratar a cada uma hora. 

“Eles vão ultrapassar muito os dois litros por dia. Por isso, a sede é um mecanismo de alerta muito importante. São profissões até que devem parar de hora em hora para se hidratar”, explica Rosina.

Ainda segundo a especialista, é muito importante ficar atento à sede, mas essa regra não vale, por exemplo, para as pessoas idosas. 

“O idoso não tem o mecanismo de sede íntegro. Então, não adianta deixar a água ao lado do idoso. Você tem que dar a água para ele tomar, senão não toma”, afirma. “Casamento na família faz o idoso ir para o pronto-socorro, porque a mulherada vai para o cabeleireiro e esquece de cuidar do idoso”, compara Rosina.

A médica também sugere que todo mundo carregue uma garrafinha para onde for. “Quando você sente sede, tem que ter água ali do lado, senão acaba deixando pra depois e não toma”.

É o que faz a esteticista Carolina Farani. No trabalho, em casa ou na academia, ela está sempre com uma garrafa de 500 ml de água por perto.

“De manhã, tomo três dela e, à tarde, mais três. Chega ser um vício (risos). Antigamente, coisa de dois anos atrás, não fazia isso”, conta .

Carolina resolveu mudar os hábitos depois que viu o pai e a mãe sofrerem com pedras nos rins. “Fiquei com receio, então, por isso, introduzi a água como algo comum, Hoje em dia não consigo mais mudar esse hábito, porque não quero”, conclui a esteticista.

Benefícios são muitos, mas sem exageros 

Tomar a quantidade adequada de água, todos os dias, traz uma série de benefícios ao organismo. O que muita gente não sabe é que, por outro lado, o exagero pode fazer mal e, em casos mais graves, levar à morte.

A nutricionista Paula Moreno explica que beber água em excesso pode causar hiponatremia, que é a queda do nível de sódio no sangue. A substância é importante porque ajuda a regularizar a quantidade de água nas células e manter a pressão sanguínea. Sem o sódio, tanto o nervo quanto o músculo, não funcionam corretamente.

“Pode ocasionar desmaio, convulsão e edema cerebral, que, se não for tratado rapidamente, pode levar a um estado de coma e consequentemente levar à morte”, diz Paula Moreno.

A médica nutróloga Marcela Voris, por sua vez, explica que beber água demais pode ser perigoso para um paciente com determinados tipos de doença.

“A gente fica hemodiluído. Dependendo se a pessoa tem alguma patologia, isso pode complicar. Pode ter uma retenção líquida, pode piorar insuficiência cardíaca. Mas isso depende de cada um. Precisa ser feita uma análise detalhada para se saber a necessidade do paciente”, afirma. 

Benefícios

Como o corpo humano é composto por 70% de água, os benefícios ao organismo são diversos, dizem os especialistas. 

“Todas as nossas relações enzimáticas, metabólicas, tudo o que acontece depende de água. A gente é uma indústria que precisa da água para fazer com que tudo funcione: respiração, batimento cardíaco e pensamentos”, resume a médica nefrologista Rosina Dal Maso.

O educador físico Marco Aurélio Alves explica, ainda, que beber uma boa quantidade de água evita a retenção de liquido no corpo e, consequentemente, que a pessoa tenha pernas e abdômen inchados.

“Quando você não bebe água, organismo percebe que está desidratado. Então, ele evita perder a pouca água que tem fazendo retenção de líquido. Aí fica aquela canela, pé e abdômen inchados. Quando chega bastante água, o organismo entende que pode eliminar”, conclui ele.