EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

16 de Junho de 2019

Professor alerta sobre cuidados na prática de exercícios físicos no verão

Thiago Moreira diz que o mais importante é fazer uma atividade que a pessoa goste

No verão, a prática de exercícios físicos pode se tornar uma atividade cansativa e desgastante. Porém, com algumas dicas simples, é possível aproveitar as altas temperaturas e aumentar o desempenho, sem colocar a saúde em risco.

O professor de Educação Física Thiago Moreira, de 31 anos, explica que, no verão, é preciso tomar muito cuidado com a desidratação. Se a pessoa for se exercitar ao sol, deve evitar se expor dentro do horário mais prejudicial, das 10h às 16h. Além de passar protetor solar, utilizar bonés ou chapéus, e óculos escuros.

Thiago alerta que alimentos mais pesados, além de prejudicarem a saúde, interferem no desempenho dos treinos. ”É preferível optar por alimentos leves, como frutas, verduras, legumes e carnes brancas como peixe ou frango. Beber bastante líquido, água, água de coco e sucos naturais”, apontou.

O professor conta que o melhor horário para se exercitar em ambiente externo é antes das 11h no período da manhã, e após as 17h no período da tarde. Entre os benefícios de se exercitar no verão, Thiago revela que o clima favorece na motivação, melhora a adesão ao exercício, contribui para o bem-estar e ajuda no sono.

Mas, é preciso ficar atento aos perigos. “No verão, é comum ter queda de pressão, desidratação e queda da glicemia, pois, às vezes, a pessoa não se alimenta adequadamente. A tendência no verão é ter menos apetite”, explicou. Outro ponto importante é evitar exercícios muito pesados ou extenuantes, que demandam grande esforço.

Thiago também afirma que não existe idade certa para se exercitar. Segundo ele, quanto mais jovem começar, melhor. “É bom para se criar o hábito, desde que a dose e a prescrição do treinamento estejam adequadas. De acordo com a faixa etária, é preciso acompanhamento de um profissional da área”, alertou.

Mas, qual exercício escolher? Moreira afirma que todo e qualquer exercício ou atividade física que o aluno ou pessoa venha a aderir e continue, de forma que se torne um hábito, é uma boa escolha. “Resumindo, a pessoa tem que gostar”, completou.

Thiago aconselha que encontrar um amigo para ambos fazerem a atividade juntos deixa as pessoas mais motivadas. “Traz mais conforto, e é mais divertido. Juntando isso, a adesão a esse tipo de exercício se mantém nessa época”, disse.

Por fim, o professor atenta para a importância do acompanhamento profissional. “A consulta prévia com um médico vai evitar que a pessoa tenha algum tipo de problema de saúde durante a atividade. Além de prever possíveis doenças ligadas à pressão arterial e problemas cardíacos”, concluiu.