EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

9 de Agosto de 2020

É hora de pôr o lixo mental para fora; psicóloga explica acúmulo de pensamentos negativos

Você é sua casa, e não basta cuidar da saúde do corpo: limpar a mente de pensamentos negativos ajuda a tomar as rédeas da própria vida com segurança

Imagine entrar em um lugar pouco arejado, repleto de poeira, bagunça e empesteado pelo cheiro de algo que foi esquecido e apodreceu. Provavelmente seu senso de higiene apertou o botão vermelho só de pensar. Mas será que esse zelo com ambientes e com o próprio corpo é o mesmo que temos com nossos pensamentos? Se você desse uma geral em sua mente agora, será que estaria tudo limpo por lá?

>> Veja dicas para se livrar do lixo mental.

Camila Cury, psicóloga, presidente e fundadora da Escola da Inteligência, explica que durante nossa vida vamos acumulando várias experiências. E, nesse turbilhão de vivências, muitas não são saudáveis e impactam negativamente nas emoções. Se não forem bem administradas, essas experiências acabam virando lixo mental. 

Esse lixo é feito de todas as memórias: ofensas, agressividade, rejeições, medos, obsessão e pessimismo que vão sendo registrados dia após dia. “Se não aprendermos a questioná-las, reeditá-las e a ressignificá-las, essas memórias não saudáveis, ou o lixo mental, podem assumir o controle de quem somos, determinando o trajeto que iremos trilhar”, detalha a psicóloga. Até porque, como diz Camila, tudo em que cremos nos controla. 

Por isso, os pensamentos negativos que povoam a mente humana podem assumir o controle e colaborar para aumentar problemas que uma pessoa pode trazer em relação a autoimagem, autoestima e empurrar o indivíduo para um círculo vicioso negativo. É, então, que frases como “não consigo”, “sou inadequado”, “nada dá certo”, “preocupar-me comigo é egoísmo” ou “só serei feliz quando...” vão aparecendo com frequência. 

“Tomar consciência desses padrões negativos de pensamentos, emoções e comportamentos, bem como aprender a confrontá-los, é essencial para traçar novas estratégias pessoais e novos caminhos, para tornar-se autor da própria história, e não, vítima das circunstâncias”, orienta a psicóloga.

Limpe-se 

Ao longo da história, a humanidade tem investido na higiene física, em detrimento da higiene mental, avalia Camila. “Preocupa-se em cuidar da sujeira visível, mas não com a qualidade dos seus pensamentos, ideias e emoções. Não que a higiene do corpo não seja importante, mas pouco ou quase nada falamos sobre a importância da higiene mental com nossas crianças e jovens”, diz.

Desta forma, sem aprendermos sobre o assunto, formarmos as próximas gerações sem ensinar como mudar esse sistema, que ela considera asfixiante. 

Estímulos 

A sociedade moderna, com o pé no acelerador e repleta de estímulos, favorece ao que se chama de síndrome do pensamento acelerado. E, quanto mais pensamentos, maiores as chances de não conseguirmos dar conta de filtrar tudo e garantir uma higiene mental. 

“Isso pode gerar estresse e desgaste, resultando em cansaço físico e mental”, afirma Filipy Borghi, doutor em Biologia Molecular e Funcional e pesquisador do Laboratório de Estudos do Estresse (Labeest) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Tudo isso pode provocar lapsos de memória, esquecimento, má qualidade de sono e de concentração, diz. 

Pandemia leva a acumular ‘sujeira’

Além de a sociedade moderna não fazer pressão suficiente contra o acúmulo de lixo mental, passamos, agora, por uma pandemia, que é uma fonte ativa para o desencadeamento de crises de ansiedade, pânico e depressão. 

“O bombardeio de informações sobre covid-19, somado ao estado de quarentena, torna a ânsia por informações muito maior. Além disso, temos que saber diferenciar as notícias reais das fake news. Tudo isso contribui ativamente para um maior acúmulo de lixo mental”, diz Filipy Borghi. 

Para ele, todo este cenário cria um ambiente fértil para o desenvolvimento de pensamentos negativos e incertezas sobre o agora e o futuro. Essas dúvidas, em conjunto com dietas não balanceadas e a falta de atividades físicas, podem aumentar o estresse. E o fato é que, nesta quarentena, muita gente já tem percebido isso.

Prazer e sono ajudam na limpeza

Mas o que fazer para faxinar a mente? Segundo especialistas, encontrar, no dia a dia, tempo para atividades prazerosas, como ler, ouvir música, assistir a algo que gostamos e meditar, são algumas maneiras de manter a mente mais relaxada e livre de pensamentos ruins. 

Outro fator importante é o sono. Uma pesquisa da Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos, pontuou que durante o sono, o cérebro consegue reequilibrar as sinapses de uma forma mais eficiente, colocando ordem em tudo. 

A sinapses são os pontos de encontro entre dois neurônios, por onde passam os impulsos elétricos. A pesquisa mostrou que 18% das sinapses de ratos que tiraram um cochilo foram apagadas – o que abre espaço para novas informações. Nos roedores que ficaram acordados, não houve mudança. 

Tudo sobre: