EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

4 de Agosto de 2020

STJ concede prisão domiciliar a Fabrício Queiroz

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) é investigado no caso da prática de "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, concedeu, nesta quinta-feira (9), prisão domiciliar a Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos). Ele é investigado no caso da prática de "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

As informações são Revista Veja. Queiroz foi preso em 19 de junho. Ele estava em uma casa de propriedade do então advogado do senador, Frederick Wassef, em Atibaia, no interior de São Paulo. No mesmo dia, ele foi transferido para o Rio de Janeiro, ficando detido no presídio de Bangu, no Rio de Janeiro.

Segundo a publicação, o pedido liminar, colocado em sigilo, foi entregue pelo presidente do STJ por ele ser o responsável pelos pedidos urgentes que chegam ao plantão da Corte. O mérito do caso ficará a cargo do ministro Felix Fischer, relator no STJ do caso das “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio.

O benefício da prisão domiciliar também é válido para mulher de Queiroz, Márcia Oliveira de Aguiar. Ela está foragida desde que o marido foi detido. De acordo com informações da Rádio Bandeirantes, investigadores poderão ter acesso à casa do casal, segundo decisão do presidente do STJ, sem a necessidade de mandado judicial. Eles também terão de entregar à Justiça celulares e computadores.

*com informações da Revista Veja

Tudo sobre: