EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

19 de Julho de 2019

Secretaria de Saúde de SP alerta sobre vacina contra febre amarela antes de feriado

Imunização para quem pretende se deslocar à região e deve ser feita 10 dias antes da viagem

A poucos dias do início de mais um feriado prolongado, o da Proclamação da República, que promete trazer milhares de turistas para a Baixada Santista, a Secretaria de Saúde de São Paulo faz um alerta: quem ainda não está imunizado contra a febre amarela deve se vacinar antes de viajar para a região, a fim de que estejam protegidos.

Para que seja garantida proteção efetiva, a vacina deve ser tomada com dez dias de antecedência. Portanto, quem pretende vir para a Baixada Santista e Litoral Norte em função dos feriados da Proclamação da República, dia 15, ou da Consciência Negra, dia 20, deve avaliar ou atualizar sua situação vacinal no início desta semana. Segundo a Secretaria, a mesma orientação vale para os moradores desses locais.

Nova morte

O alerta vem após o Instituto Adolfo Lutz confirmar um óbito por febre amarela na região do Vale do Paraíba. A vítima, um homem de 26 anos, morador de Cunha, havia se recusado a tomar a vacina e se infectou numa área rural onde trabalhava, em Caraguatatuba.

Todo o território paulista já tem recomendação da vacina, devido à circulação do vírus. Mesmo assim, a cobertura vacinal é de apenas 55% na Baixada Santista. As doses são disponibilizadas nos postos de vacinação em todo a área.

Balanços

Ainda conforme a Secretaria de Saúde, em 2018, até 23 de outubro, houve 502 casos autóctones de febre amarela silvestre confirmados no Estado e 175 deles evoluíram para óbitos.

Do total, 30,2% das infecções por febre amarela foram contraídas em Mairiporã e 9,5% em Atibaia. Essas duas cidades respondem por 39,7% dos casos de febre amarela silvestre no Estado, e já têm ações de vacinação em curso desde 2017.

Na Baixada Santista, foram registrados quatro casos e três óbitos, nas cidades de Guarujá (um caso com um óbito), Itanhaém (um caso com uma morte) e Peruíbe (três casos com uma morte).

Mais de 8 milhões de pessoas já foram vacinadas contra febre amarela. O número ultrapassa a marca da vacinação no decorrer de 2017, quando 7,4 milhões de doses foram aplicadas, e é também superior à vacinação na década anterior – 7 milhões de pessoas foram imunizadas entre 2006 e 2016.

Sintomas

Devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído e transplantados. Mas a imunização não é indicada para grávidas, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticóides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide). 

A Secretaria de Saúde reforça que, em caso de dúvida, é fundamental consultar o médico.