Rio de Janeiro radicaliza nas restrições e fecha além de boates, quiosques e feiras de artesanato

Pessoas de serviços que não sejam considerados essenciais não poderão circular entre 23h e 5h na cidade.

A Prefeitura do Rio de Janeiro determinou, nesta quinta-feira (4), novas medidas bastante restritivas por conta do avanço da pandemia do Covid-19 na cidade. Além das decisões anteriores, que continuam mantidas, quiosques, boates e feiras de artesanato não poderão funcionar. Além disso, pessoas de serviços não essenciais não podem circular entre 23h e 5h.

As novas medidas passam a valer a partir desta sexta-feira (5) e ficam em vigor até 11 de Março. De acordo com o prefeito Eduardo Paes, todas as medidas tem o objetivo de evitar que 'se repita em 2021 o genocídio de 2020 na cidade do Rio de Janeiro'. A saúde do Rio segue 'pressionada' com grande aumento nos atendimentos de pessoas com sintomas da doença.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Ainda segundo o prefeito, as medidas são necessárias para a 'preservação da vida'. Ele reconhece, porém, que alguns setores serão mais impactados e evitou culpar o carnaval pelo aumento de casos na cidade, apesar de afirmar que houve desrespeito por conta de algumas pessoas que não respeitaram as regras de isolamento. Mesmo assim, apenas o bairro de Copacabana é classificado como 'alto risco'.

Confira as novas restrições no Rio de Janeiro

- Está previsto que bares e restaurantes só poderão abrir das 6h às 17h, e com 40% de ocupação, inclusive em shoppings centers;
- Entre 23h e 5h, será proibido permanecer em ruas, espaços públicos e praças – a circulação será permitida;
- Estão proibidos o funcionamento de qualquer atividade comercial e de prestação de serviços nas praias, incluindo o comércio ambulante e os quiosques;
- Eventos, festas e rodas de samba também estão proibidos;
- Não podem funcionar boates, casas de espetáculo, feiras especiais, feiras de ambulantes e feirartes (artesanato).

A fiscalização deverá ser feita pela Secretaria Municipal de Ordem Pública, Guarda Municipal e Secretaria Municipal de Saúde. Nesta quarta-feira, durante entrevista coletiva, a Prefeitura deve explicar algumas das novas medidas restritivas que visam desafogar um pouco o setor de saúde do município.

Tudo sobre: