EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

7 de Julho de 2020

Reforce cuidados em casa e evite acidentes com idosos e crianças em isolamento

Perigos na residência devem ser eliminados para evitar ida a hospital em tempos de pandemia

O isolamento social das famílias durante a pandemia de Covid-19 tem o objetivo de brecar a rápida disseminação do vírus e o colapso do sistema de saúde. Por isso, neste momento, é importante ficar atento aos perigos dentro de casa e evitar acidentes, principalmente entre crianças e idosos. 

“Hoje nossa grande preocupação é evitar acidentes porque faltam leitos e uma ida ao hospital pode significar o aumento das possibilidades de contágio. Então, temos que tomar cuidado”, afirma Eduarda Marsili, gestora de projetos e políticas públicas da ONG Criança Segura. 

A primeira ação a ser tomada neste período é fazer um verdadeiro pente-fino na própria residência, identificando possíveis armadilhas. “No caso das crianças menores, verificar, por exemplo, se há brinquedos quebrados que possam soltar peças capazes de causar sufocamento”. 

Marsili alerta que é importante, também, retirar móveis de perto de janelas. Isso evita que os pequenos possam escalar e se arriscarem em uma queda. “Sabemos que é difícil porque muitos pais estão em home office, mas é preciso supervisão. Na hora da alimentação, é fundamental que as crianças sejam acompanhadas por conta do engasgo”. 

Segundo a gestora, alimentos como uva e tomate cereja devem ser cortados e para as crianças que comem com as mãos, principalmente legumes, é importante que eles sejam bem cozidos. 

Idosos 

As atenções redobradas também com os idosos que estão em casa. Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), um terço pessoas acima de 65 anos sofre, a cada ano, pelo menos uma queda. Por isso, eliminar possíveis armadilhas faz toda diferença. 

Um estudo divulgado pela própria SBGG mostra que iluminação insuficiente nos cômodos, superfícies irregulares, pisos escorregadios, objetos espalhados na área de circulação, tapetes soltos, móveis instáveis, camas altas, sofás, cadeiras e vaso sanitário baixo e prateleiras de difícil alcance são situações que os colocam em risco. 

Além disso, os idosos devem ficar atentos ao uso de calçados ou chinelos em más condições, que não estejam bem adaptados aos pés ou que tenham solado escorregadio. 

Produtos de limpeza e álcool

Para as crianças, é importante restringir o acesso aos produtos de limpeza e evitar baldes ou bacias com água porque, mesmo com pouca quantidade, eles podem se afogar. Agora, amigo na luta contra o coronavírus, o álcool deve receber atenção especial. Conforme o diretor da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM), Antônio Carlos da Costa, um ponto de atenção é sobre a liberação do álcool 70%.

“Para o álcool funcionar na prevenção da Covid-19, ele precisa ter concentração alta, isto é, pelo menos próxima de 70%. O problema é que, nas concentrações altas, o álcool é muito inflamável e até explosivo. Outro problema é que o álcool, que normalmente guardávamos em locais escondidos das crianças, agora está em cima das mesas para ser utilizado com frequência”. 

Mais sabão

Para prevenir os acidentes, afirma Costa, o ideal seria utilizar mais o sabão dentro de casa. “O sabão, além de mais seguro, não sofre com o desabastecimento, pelo menos até agora. Evitem utilizar álcool, gel ou líquido, na cozinha. A chama do álcool líquido é pouco visível e a do álcool em gel é praticamente invisível. Lembramos que as queimaduras, quando muito extensas, podem matar, e quando queimam as mãos, comprometem nossa principal ferramenta”. 

Outro assunto pouco comentado, segundo Costa, é a utilização de luvas de borracha próximas do fogo, sendo a borracha altamente inflamável também.

Tudo sobre: