EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Mulher morta pelo companheiro com HIV era forçada a ver vídeos sexuais e comer fezes

Segundo depoimentos, vítima era obrigada a assistir vídeos nos quais esposo aparecia fazendo sexo com outras mulheres; ela foi esquartejada e teve o corpo incendiado

A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou depoimentos sobre as torturas que uma mulher, vítima de feminicídio, sofria do companheiro. Gutemberg Xavier Alves, que está foragido e é soropositivo, obrigava Francine Moizes Pedro a ver vídeos em que ele fazia sexo com outras mulheres e a comer fezes. 

O corpo da vítima foi encontrado em uma área de mata na cidade de Palma, em Minas gerais, que faz divisa com a cidade em que o casal morava, em Miracema. O corpo da vítima foi esquartejado e incendiado, não sendo possível descobrir a causa da morte.  

De acordo com a Polícia Civil, 20 pessoas foram ouvidas e relataram os abusos sofridos por Francine. Segundo testemunhas, ela foi obrigada a fazer uma tatuagem com a frase: "Gutemberg, eu te amo!". Outro relato também revelou que o foragido tentou enforcar a vítima com uma corda. 

Ainda segundo a polícia, câmeras de monitoramento flagraram o momento em que Gutemberg e um homem com transtorno mental, saíram de casa com sacolas onde estavam o corpo da vítima.  

*Com informações do G1

Tudo sobre: