EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

22 de Maio de 2019

Merendeira que salvou crianças em escola de Suzano recebe homenagens

Silmara Cristina Silva de Moraes salvou a vida de cerca de 50 estudantes

Apesar da tragédia ocorrida em Suzano, no interior de São Paulo, ter carregado grande tristeza pela morte de dez pessoas, a presença da merendeira Silmara Cristina Silva de Moraes acendeu a esperança nesta história.

A funcionária da Escola Estadual Raul Brasil conseguiu salvar dezenas de adolescentes no dia em que a instituição de ensino foi alvo do ataque de dois jovens, que abriram fogo contra alunos e funcionários. A tragédia resultou na morte de cinco estudantes, duas funcionárias, do dono de uma loja próxima e dos dois autores dos disparos.

A tragédia podia ter sido ainda maior não fosse a atuação de Silmara. Em entrevista à Rede Globo, a merendeira contou que na manhã do tiroteio teria conseguido salvar a vida de, ao menos, 50 estudantes.

Ela e os demais colegas se prontificaram a acolher os meninos e meninas na cozinha para tentar protegê-los. Silmara contou que uma barricada com geladeira e freezer foi montada. Além dessa estratégia, uma mesa foi usada como escudo para garantir que os estudantes não se tornassem alvo.

A atitude de Silmara durante o tiroteio de Suzano logo se espalhou pela internet e sua história ficou conhecida. Nas redes sociais, Silmara recebeu várias homenagens e se tornou uma grande heroína do ocorrido na cidade paulista.

“Precisamos falar sobre a merendeira que escondeu cerca de 50 crianças na cozinha, e o quão heroína ela foi... Evitou uma tragédia ainda maior” e “Que bom que você estava lá, que bom. Essa mulher lutou com unhas e dentes para salvar as crianças, essa mulher é uma merendeira forte, uma heroína”, foram alguns dos comentários.