Horário de verão termina neste sábado

Os relógios deverão ser atrasados uma hora à meia noite

Para uns, até que enfim. A outros,uma pena,mas neste sábado (16) terá uma hora a mais, com o fim do horário de verão. Os relógios deverão ser atrasados uma hora à meia noite. A economia, porém,caiu 13,1% em relação ao horário de verão anterior na região atendida pela CPFL. No período, que durou 105 dias, a concessionária que atende a 27 municípios no Interior e Baixada registrou economia de 7.060 MWh (Megawatts por hora).

O volume é capaz de abastecer Santos por um dia. A média de economia nesta 49ª edição do horário de verão correspondeu a 67,2MWh a cada 24 horas – número 13,1% maior que a média da edição 2017/2018, que economizou77,4MWh por dia.

Motivos

A CPFL Piratininga explica que os meses de dezembro de 2018 e janeiro de 2019 registraram temperaturas mais elevadas. Tanto que o dia 23 do mês passado marcou o recorde no consumo de energia em todo o País. Com isso, mais gente usa sistemas de refrigeração, impactando na conta de luz. A Elektro, outra concessionária que abastece a região, afirmou que nenhuma das 228 cidades atendida nos estados de SãoPaulo e do Mato Grosso do Sul mostrou redução no consumo. Um estudo do Ministério de Minas Energia também apontou queda na efetividade da iniciativa, já que o perfil do consumo de eletricidade não estava mais ligado diretamente ao horário,mas sim à temperatura. Tanto que os picos de consumo no País foram registrados nas horas mais quentes do dia, porvoltadas 15horas.

ACENDER A LUZ

Ainda assim, segundo o diretor de Distribuição da CPFL Energia, Thiago Freire Guth, os resultados mostram que a adoção do horário de verão ainda é capaz de melhorar o aproveitamento da luz natural e de reduzir o consumo, reduzindo riscos de sobrecarga no sistema elétrico noshoráriosdepico. “Normalmente, as pessoas começam a chegar em suas casas a partir das seis da tarde, sendo que uma das primeiras ações é acender a luz. Na mesma hora, entramemoperação a iluminação pública e os luminosos comerciais, além de as indústrias seguirem operando. No horário de verão essas cargas iniciam após às 19 horas, quando o consumo industrialjá está reduzindo”, explica Guth.

Tudo sobre: