Governo estuda retorno de MP que reduz salários e jornada de trabalho de funcionários

A expectativa da União é conseguir repetir os moldes editados em abril de 2020

O governo deve renovar o pacote de alívio para empresas durante a pandemia. Uma das ações, será a volta de acordos de redução salarial e suspensão dos contratos de trabalho. 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

A nova MP deve ser publicada ainda nesta semana e prevê a suspensão por quatro meses do recolhimento de FGTS pelos empregadores, além de reeditar a possibilidade de antecipação férias por meio de negociação com funcionários. 

A expectativa do governo é conseguir repetir os moldes editados em abril de 2020, quando a regra autorizou redução salarial de 25%, 50% e 70% por meio de acordos individuais. 

Contudo, assim como no ano passado, o governo federal deve compensar os trabalhadores afetados pelos cortes de forma parcial. Vale lembrar que em 2020, a contrapartida da União, intitulada Benefício Emergencial (BEm), custou R$ 33,5 bilhões. 

*com informações do Extra

Tudo sobre: