CLUBE IMPRESSO ACERVO COVID
Doria antecipa vacinação de idosos com 64 anos para sexta-feira
Pessoas com síndrome de down, transplantados e renais em diálise (de 18 a 59 anos) serão vacinados no dia 10 de maio
Por: Matheus Müller  -  20/04/21  -  16:52
  Foto: Reprodução/Facebook

O governador João Doria (PSDB) anunciou a antecipação de vacinação para idosos com 64 anos para a próxima sexta-feira (23), o que vai beneficiar 420 mil pessoas.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Ele informou ainda a inclusão de pacientes com Síndrome de down, pacientes transplantados e pacientes renais em diálise (todos entre 18 e 59 anos) no grupo prioritário, com imunização prevista para 10 de maio.


Doria também estipulou data para a vacinação de profissionais do setor metroviário e ferroviário, em 11 de maio, e motoristas e cobradores de ônibus municipais e intermunicipais, a partir de 18 de maio.


Ainda sobre a imunização de dos idosos, o governador ressaltou que, aqueles entre 66 e 65 anos receberão a primeira dose nesta quarta-feira (21). Para pessoas com 63 anos a imunização será dia 29, e para quem tem entre 60 e 62 anos, em 6 de maio.


“A título de curiosidade, na vacinação das pessoas com 63 anos, eu estarei incluído, estarei na fila e receberei a vacina do Butantan”, ressaltou Doria.


A coordenadora geral do Programa Estadual de Imunização, Regiane de Paula, ressaltou estar trabalhando para poder enviar doses aos trabalhadores da saúde que ainda não tenham sido vacinados. “Eles não estão colocados aqui, mas é em torno de 300 mil pessoas”, disse.


Cenário de risco


De acordo com Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, a continuidade do cronograma de vacinação, agora com a previsão de uma completa imunização do público acima de 60 anos, é uma notícia “excelente”.


“Esse é o grupo mais vulnerável à infecção do Sars-CoV-2 e com maior chance de desenvolver os quadros graves e ter o desfecho mais indesejado, que é o óbito. Para se ter uma ideia, a chance de uma pessoa de 90 anos ou mais ir à óbito, após a infecção, é de quase 43%; de 80 a 89 anos (30%) e de 70 a 79 anos (16%)”.


Ele comemora, também, a inclusão da população vulnerável por comorbidades, e de profissionais de categorias essenciais, nas áreas da segurança pública, educação e, agora, transporte público.


O governador ressalta que as medidas de imunização de segmentos “seguem um critério rigorosamente avaliado, do ponto de vista médico, sanitário, de economia e grau de exposição”.


“O ideal, como todos sabem, é que pudéssemos ter no Brasil, vacinas suficientes para todos os brasileiros, não apenas por segmentos da população. Peço que compreendam que a falta de vacinas não é uma responsabilidade do Estado de São Paulo, mas do Ministério da Saúde e do Governo Federal. Se não fosse São Paulo, não teríamos as 42 milhões de doses da vacina do Butantan já distribuídas”, apontou.


Queda nas internações


O secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn, revelou que a taxa de ocupação no Estado está em 82,9% e lembrou que, em 1ª de abril, o percentual era de 92,6%. “Todos os dados que temos visto aqui em termos de internação, temos também impacto da vacina”, disse.


Segundo ele, o número de idosos com mais de 90 anos internados caiu 46%; na faixa de 85 a 89 anos (36%) e na faixa de 80 a 84 anos (22%). “Portanto, só conseguiremos combater a pandemia no nosso País e Estado, com medidas sanitárias e com vacina”.


Reunião


Uma reunião realizada na segunda-feira (19), entre representante de motoristas de ônibus, o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado Marco Vinholi e a subsecretária de Assuntos Metropolitanos, Solange Freitas, garantiu a inclusão dos motoristas e ônibus no grupo prioritário de vacinação contra a covid-19.


O encontro foi fundamental para desmobilizar a greve destes profissionais, prevista para começar nesta terça-feira (20), em todo o Estado.