EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

18 de Março de 2019

Deputados usam latidos de cachorros para interromper ato por Marielle na Câmara

Homenagem dos parlamentares do PSOL e de partidos de esquerda para a vereadora Marielle Franco foi interrompida pelas caixas de som dos deputados de partidos de direita

Um clima de mal-estar marcou o ato organizado pelo PSOL em memória da vereadora Marielle Franco na manhã desta quinta-feira (14), no Salão Verde da Câmara dos Deputados. Enquanto os deputados cobravam explicações às autoridades sobre o mandante do crime, que completa um ano, um outro grupo de parlamentares que realizava ato em favor dos animais ligou caixas de som que tocavam sons de latidos de cachorros. 

Entre os apoiadores do ato pró-animais, estava o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que participou do ato realizado no Rio ano passado no qual foi rasgada uma placa em homenagem a Marielle.

Alguns minutos depois de deputados do PSOL e outros partidos de esquerda começarem um ato em homenagem a vereadora, parlamentares de direita entraram no mesmo Salão Verde da Câmara para protestar contra a violência animal.

Sorridentes, eles posaram para fotos segurando cartazes pedindo reclusão para quem maltrata os animais com o desenho de um cachorro.

Nesta quinta-feira, a execução da vereadora e do seu motorista Anderson Gomes completa um ano. Na terça (12), dois suspeitos de executar o crime foram presos. A polícia ainda investiga o eventual mandante.

O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) ficou conhecido pela foto com o hoje governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), em que rasgam a placa de rua com o nome de Marielle em meio aos protestos contra o seu assassinato, no ano passado.