EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

17 de Agosto de 2019

Deputado federal Alexandre Frota é expulso do PSL

Críticas públicas ao presidente Jair Bolsonaro e abstenção na segunda votação da reforma da Previdência "selaram" destino do parlamentar paulista

O PSL decidiu, nesta terça-feira (13), pela expulsão do deputado federal paulista Alexandre Frota. Segundo o portal de notícias G1, a decisão foi tomada após reunião da sigla, em Brasília, e anunciada pelo presidente da sigla, Luciano Bivar. O argumento é que Frota teria demonstrado “infidelidade” à bancada

O partido é o mesmo do presidente Jair Bolsonaro, que passou a ser alvo do parlamentar. Decepcionado com o governo, Frota fez críticas públicas ao chefe do Executivo como, por exemplo, a indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada brasileira nos Estados Unidos. À época, o deputado disse que ato era  mimo” dado de pai para filho, baseado na “velha política”.

Além disso, Alexandre Frota ainda se absteve da votação, em  segundo turno, da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. A atitude, que contrariou a orientação do partido, foi tomada após ele ter sido retirado da vice-liderança do partido na Casa.

Segundo apontado pelo G1, Frota teria dito que, antes de tirá-lo da vice-liderança, a direção do PSL já havia o retirado do comando de três diretórios municipais a pedido de Jair Bolsonaro.

A responsável pelo pedido de expulsão foi a deputada Carla Zambelli (SP), além de subscrição dos deputados Caroline di Toni (SC), Bia Kicis (DF) e por Luiz Philippe de Orleans e Bragança (SP). O senador Major Olímpio (SP) também cobrou o afastamento definitivo do deputado, o terceiro mais votado da sigla no Estado.

Alexandre Frota foi o 16º deputado federal mais votado no estado de São Paulo. Ele obteve 155.522 votos.

*Com informações do G1