Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

As primeiras ações do novo presidente dos EUA

Joe Biden indica primeiras ações executivas previstas após a posse, que incluem imigração e retorno ao acordo climático de Paris

Por: De Estadão Conteúdo  -  17/01/21  -  04:03
Atualizado em 17/01/21 - 04:10
Biden reiterou que vai atuar na Casa Branca em benefício de todos os americanos
Biden reiterou que vai atuar na Casa Branca em benefício de todos os americanos   Foto: ANDREW HARNIK/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Em suas primeiras horas como presidente, Joe Biden planeja adotar ações executivas para reverter algumas das decisões mais controversas de seu predecessor e para enfrentar a pandemia do novo coronavírus, disse o seu novo chefe de gabinete, Ron Klain, em memorando distribuído à equipe sênior.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A salva após a posse anunciaria uma blitz de 10 dias de ações executivas. Biden busca agir rapidamente para redirecionar o país após a presidência de Donald Trump, sem esperar pelo Congresso.


Na próxima quarta-feira (20), após sua posse, Biden vai acabar com a restrição de Trump sobre a imigração para os EUA de alguns países de maioria muçulmana, se mobilizar para reingressar no acordo climático de Paris e exigir uso de máscara em propriedade federal e durante viagens interestaduais.


Essas são algumas de uma dúzia de ações que Biden tomará em seu primeiro dia na Casa Branca, segundo o memorando. "Estas ações executivas vão proporcionar alívio a milhões de norte-americanos que estão lutando para enfrentar essas crises", disse Klain no memorando. "O presidente eleito Biden tomará medidas - não apenas para reverter os piores danos da administração Trump - mas também para começar a mover nosso país para frente."


'A realização plena' dos objetivos de Biden exigirá que o Congresso aja, disse Klain, incluindo o projeto de lei de alívio para conter os efeitos da pandemia de US$ 1,9 trilhão delineado na quinta-feira. Klain disse ainda que Biden também vai propor uma reforma abrangente da imigração aos legisladores em seu primeiro dia de mandato.


No dia seguinte, quinta-feira (21), Biden assinaria ordens relacionadas ao surto de covid-19 com o objetivo de reabrir escolas e empresas e expandir testes do vírus. No dia seguinte, sexta-feira, está prevista ação de fornecimento de alívio econômico para aqueles que sofrem os custos econômicos da pandemia.


Na semana seguinte, Biden tomaria medidas adicionais relacionadas à reforma da justiça criminal, à mudança climática e à imigração - incluindo uma diretiva para acelerar o reagrupamento de famílias separadas na fronteira EUA-México sob as políticas de Trump.


Os presidentes entrantes tradicionalmente agem rapidamente para assinar uma série de ordens executivas quando tomam posse. Trump fez o mesmo, mas muitas de suas ordens foram contestadas e até suspensas pelos tribunais.


Logo A Tribuna