EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

6 de Julho de 2020

AT Carreiras: Ciência da Computação é a área que mais cresce no Brasil

Para especialista em RH, curso garante boa colocação no mercado de trabalho

A área de Tecnologia da Informação (TI) é uma das que mais crescem no Brasil. Por isso, se especializar neste segmento é uma ótima opção para aqueles que buscam um mercado sólido e em ascensão. Mas, para alcançar o sucesso, é preciso saber trabalhar o raciocínio lógico e estar sempre antenado nas novas tecnologias que estão surgindo. 

A Universidade Paulista (Unip) de Santos oferece o curso de Ciência da Computação, voltado para a área de TI, com graduação em quatro anos. O corpo docente trabalha diversas disciplinas práticas, para preparar os estudantes para o mercado de trabalho. 

Ciência da Computação

O coordenador do curso de Ciência da Computação da Unip, Sergio Medina, explica que a TI é uma área multidisciplinar, responsável pelo desenvolvimento, implantação e manutenção de redes e produtos de alta tecnologia para comunicação e troca de dados. Como é um mercado que está em alta, o curso é muito procurado.

"Nós oferecemos o curso em dois períodos, matutino e noturno. A grande maioria das empresas, de todos os portes e setores de atuação, dependem de sistemas inteligentes que facilitem seus processos cotidianos. É difícil imaginar a vida sem a informática hoje em dia", revela o coordenador. 

Coordenador do curso de Ciência da Computação explicou que TI é uma área multidisciplinar (Foto: Reprodução)

Para a especialista em Recursos Humanos do Espaço Santista RH, Andréa Marques, esta é a profissão que mais cresce no País e que garante uma boa colocação no mercado de trabalho. Apesar disso, ainda é difícil encontrar excelentes profissionais para ocupar todas as vagas dispoíveis nas empresas de diversos setores. Por isso, é essencial que os alunos se dediquem ao máximo durante a faculdade e busque diversas especializações. 

"As pessoas estão com um volume grande de trabalho e ganhando um valor muito alto por hora. Hoje, tudo é TI. Dentro da carreira tem várias funções. Esse é o mercado que mais cresce e tem a melhor remuneração. Eu sempre tenho vagas disponíveis e vira uma disputa entre as consultorias. Acredito que o primorcial na hora de escolher uma profissão é fazer o que a gente gosta, mas para quem está em dúvida, eu recomendo a área de TI". 

Dois ex-alunos da Unip estão muito bem colocados no mercado de trabalho graças aos conhecimentos adquiridos durante o curso. Dielly Rodrigues explica que sua carreira está em constante crescimento e, referente ao salário, já teve aumento de 1000%. Ele já recebeu diversas oportunidades para trabalhar em outros países, mas acabou perdendo por não ter fluência em inglês.

"Eu trabalhei 12 anos com Linux, sendo assim, toda a base de desenvolvimento, lógica e algoritmos ensinados na Unip me ajudaram a resolver problemas mais rápidos. Mas é uma função que o salário foi diminuindo, assim como o número de vagas, então atualmente trabalho como Devops Arquitect. Sem toda esta base seria bem mais difícil realizar esta migração de área, pois necessito conhecer de desenvolvimento e infraestrutura de TI. 

Para a especialista em Recursos Humanos, Andréa Marques, esta é a profissão que mais cresce no País (Foto: Reprodução)

Já a ex-aluna Tamires Arcanjo não sabia ao certo qual carreira gostaria de seguir mas, após muita pesquisa, se interessou por Ciência da Computação, apesar de parecer super difícil e não ter muitas mulheres na área. Mesmo assim, esses pontos contribuíram na hora de fazer sua escolha e prestar o vestibular.

"Me formei em dezembro de 2016 e desde então tenho trilhado minha carreira profissional em São Paulo. Atualmente sou Analista de Engenharia de Dados em um dos maiores bancos da América Latina. Trabalho com ciência de dados, orientada por metodologias ágeis, e o resultado dessa combinação me possibilita facilitar a vida dos meus clientes. Sem os conhecimentos adquiridos na graduação, não seria possível eu estar exercendo essa função". 

Ficha técnica

Duração: 8 semestres (4 anos)

Tipo do curso: Bacharelado

Grade curricular: o curso conta com diversas disciplinas práticas em laboratório, como DAW, PDM e IHC, e também atividades extracurriculares, como Iniciação Científica, monitoria, visitas técnicas e ciclo de palestras.

Atividades práticas: o curso como um todo é bastante voltado a prática. Em todo semestre há disciplinas em laboratórios.

Infraestrutura: laboratórios de informática.

Materiais: seria recomendável ter um computador, apesar de já existirem vários apps em que é possível treinar programação.

Estágio: é obrigatório! Hoje, uma grande parte das empresas possuem setor de TI seja em pequeno ou grande porte, logo, o aluno pode ser alocado em empresas de desenvolvimento e também pode atuar na TI de outras organizações que não desenvolvem, porém necessitam manutenção, suporte, etc.

Perfil: ter raciocínio lógico, exatidão, concentração, organização e iniciativa. Hoje requer-se também um profissional comunicativo e que consiga transitar entre o técnico e o ambiente de negócios.

Salário: de 3,5 até 7 salários mínimos.

Especializações: curso Lato Sensu (Especialização) e curso Stricto Sensu na área acadêmica (mestrado e Doutorado).

Educação continuada: é interessante o aluno cursar inglês, pois já não é mais um diferencial, as grandes empresas já chegam a exigir esse conhecimento.

Áreas de atuação: empresas privadas, universidades, órgãos governamentais, fabricantes de software e hardware e consultorias. 

Principais funções: desenvolvedor (front end – back end - mobile – full stack), cientista de dados, DBA, segurança da informação, UX-UI – interfaces, suporte e engenheiro SW.

Mercado de Trabalho: a atuação do cientista computacional é requisitada em laboratórios de pesquisas e desenvolvimento industrial, em empresas que desenvolvem interfaces, simulações, aplicativos, softwares e afins, em empresas que realizam manutenção, alterações, suporte, perícias e auditorias e também na área acadêmica, como professor ou pesquisador, entre outras.

Tudo sobre: