Incêndio destrói casarão tombado do século 18 em Iguape

Peritos vão avaliar as condições do prédio para um possível restauro

Um incêndio destruiu um casarão do século 18, na noite de sexta-feira (1º), na rua Nove de Julho, no centro histórico de Iguape, no Vale do Ribeira. O imóvel faz parte de um conjunto de casarões tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 2011. A construção pertence a uma família tradicional da cidade e estava desocupada.

O prédio, edificado em estilo português, com paredes de taipa, também está em área tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) do Estado de São Paulo. Trata-se do maior conjunto arquitetônico tombado pelo patrimônio histórico no Estado.

Quando o incêndio foi percebido, as chamas já tinham se alastrado pela estrutura de madeira do prédio. A cidade não possui Corpo de Bombeiros. O combate ao incêndio foi feito por uma equipe dos bombeiros de Registro, distante 86 quilômetros. Quando os bombeiros chegaram o casarão já tinha sido tomado pelo fogo. O que restava do incêndio foi rapidamente controlado. Peritos vão avaliar as condições do prédio para um possível restauro. As causas do incêndio serão investigadas.

O centro histórico de Iguape é o primeiro conjunto urbano do Estado de São Paulo a ser protegido pelo Iphan como “paisagem cultural”. O casario, igrejas e prédios públicos sofreram poucas alterações até o início do século 20, mantendo quase intactas técnicas arquitetônicas, como a taipa francesa e de pilão, usadas em edificações que datam da mineração do ouro e da cultura do arroz que desenvolveram a região, entre os séculos 16 e 19.

Tudo sobre: