EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

4 de Abril de 2020

Sabesp promete chegar a 90% de coleta de esgoto na Baixada Santista em 10 anos

Presidente da companhia afirma que falta de contratos prejudicou investimentos em coleta, que agora são prioridade em toda a região

A burocracia impediu, durante anos, que o saneamento básico chegasse por igual em todas as cidades da Baixada Santista. A afirmação é do presidente da Sabesp, Benedito Braga, para justificar números tão divergentes. Enquanto Santos chega a ter 97% de coleta de esgoto, segundo os últimos dados da companhia (2018), Bertioga tem índice de 53%.

Braga esteve na tarde desta segunda-feira (2) no evento A Região em Pauta, promovido pelo jornal A Tribuna, que abordou o tema. Segundo o presidente, a falta de contrato com as prefeituras travou investimentos. No entanto, nos últimos anos, acordos foram acertados com oito municípios, a começar por Santos, em 2015.

>> Clique aqui e faça o download da apresentação da Sabesp

Somente Cubatão não formalizou o documento, o que deve acontecer ainda este mês. Assim, a meta é que todas as cidades tenham mais de 90% de coleta e tratamento de esgoto até 2030. “Temos um cronograma de obras para cada cidade. Cada município negociou um contrato diferente. Estamos trabalhando com muito afinco para cumprir todos os contratos e ter todas as cidades na condição de Santos. Estamos prevendo investimentos de R$ 4 bilhões até 2030”.

Além de Santos e Bertioga, os índices de coleta de esgotos nas cidades da região, segundo a Sabesp, são: 82% em Guarujá, 86% em Mongaguá, 80% em Praia Grande, 81% em São Vicente, 73% em Cubatão, 56% em Itanhaém e 83% em Peruíbe. 

Cubatão 

Braga explica que o contrato com Cubatão já foi negociado com a prefeitura e a formalização deve acontecer entre duas e três semanas. “Está muito avançado e tenho certeza que o prefeito [Ademário Oliveira, PSDB] vai acompanhar os colegas dele do litoral e levar boa qualidade de vida para a sua população”.

A Prefeitura de Cubatão informa que a previsão é de que o contrato com a Sabesp seja assinado ainda este mês, garantindo investimentos de R$ 310 milhões para a cidade nos próximos 30 anos, envolvendo captação, adução, tratamento e distribuição de água, além de coleta, transporte, tratamento e disposição final de esgotos sanitários.

“A assinatura é uma grande conquista para Cubatão. Depois de muita discussão, conseguimos resolver um impasse que se arrastava há 10 anos na cidade. O contrato com a Sabesp garante investimentos para o município e formaliza uma prestação de serviços essencial para toda a população", afirma o prefeito de Cubatão, Ademário Oliveira.

O Plano de Investimento da empresa reserva R$ 132 milhões para serem aplicado em água, R$ 174 milhões em esgoto e R$ 4 milhões em “bens de uso geral”. Está previsto, ainda, o repasse anual de 4% do faturamento da empresa, descontados os impostos, para o Executivo Municipal investir, por meio do Fundo Municipal de Saneamento, nas áreas de drenagem, regularização fundiária, resíduos sólidos e em educação ambiental.

Ajuda das cidades 

Presidente do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), ressaltou a importância do debate regional em torno do tema, já que a poluição de uma cidade afeta a vizinha. Barbosa, que também participou do evento, destacou a problemática envolvida em ocupações irregulares, onde a Sabesp não pode atuar.

O presidente do Condesb lembrou que as cidades têm projetos para desocupação dessas áreas e construção de moradias, mas falta dinheiro. Por isso, é fundamental a parceria com os governos estadual e Federal.

“Defendo que o Condesb possa discutir menos e executar mais. Passamos muito tempo discutindo planos, propostas, projetos. Já está muito claro o que é preciso ser feito. O papel do Condesb deve ser garantir a execução dos projetos com a força política. O saneamento exemplifica: se o problema é coletivo, a solução deve ser coletiva”.

Tudo sobre: