Tricolor encara o Santos e tenta se recuperar de atropelo frente ao Bragantino

Com desfalques ofensivos, o líder do Brasileirão quer explorar o fato de os santistas estarem com a Libertadores na cabeça e focados no Boca Juniors

Apresentação ruim, bate-boca de Fernando Diniz e derrota com resultado expressivo para o Red Bull Bragantino, por 4 a 2. Depois de amargar sua pior apresentação no Brasileiro, o São Paulo precisa ganhar do Santos neste domingo (10), às 16 horas, no Morumbi, para reencontrar a paz após dois jogos sem vitórias.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Ainda com desfalques ofensivos, o líder quer explorar o fato de os santistas estarem com a Libertadores na cabeça e focados no Boca Juniors.

O São Paulo enfrenta a sequência de jogos na qual mais sofreu neste Brasileirão. No primeiro turno, perdeu pontos contra Bragantino, Santos, Internacional e Coritiba. 

A ordem é colocar a cabeça no lugar e atacar o Santos para não repetir aquela série de insucessos. 
Diniz segue com problemas para armar o São Paulo. O atacante Luciano ainda se recupera de inflamação na perna esquerda e Bruno Alves está suspenso, assim como Tchê Tchê, com quem teve discussão áspera com treinador e que acabou expulso em Bragança Paulista.

Luan volta ao meio-campo. Na defesa, Arboleda deve iniciar o jogo depois de ficar na reserva diante do Bragantino, ao lado de Diego Costa, possível substituto de Bruno Alves. A expectativa é grande também pelo retorno de Juanfran na lateral direita.

Covid-19
O São Paulo realizou uma nova testagem com o elenco e não identificou novos casos positivos para a covid-19, o que libera o elenco para o clássico contra o Santos. Apenas o atacante Toró, que positivou antes da derrota por 4 a 2 para o Red Bull Bragantino, segue afastado. Ele está assintomático e em regime de isolamento social.

O São Paulo é um dos clubes com menos casos de covid. Até aqui, além de Toró, somente Tchê Tchê desfalcou a equipe por ter contraído o vírus. Ele cumpriu isolamento social determinado pela CBF e depois voltou a jogar normalmente.

Tudo sobre: