EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

24 de Fevereiro de 2020

Morumbi é palco de duelo que pode terminar em crise

São Paulo e Corinthians chegam ao clássico pressionados

Corinthians e São Paulo se enfrentam hoje, às 19 horas, no Morumbi, para evitar a crise. O lado alvinegro vive situação mais preocupante,pois vem de eliminação na Libertadores, com direito a falhas de dois dos principais jogadores: Cássio e Pedrinho. O Tricolor ainda não conseguiu fazer o setor ofensivo funcionar, está fora da zona de classificação no Estadual e um tropeço pode colocar mais pressão em Fernando Diniz. 

O técnico Tiago Nunes ainda vive situação tranquila no cargo. Com pouco mais de um mês de trabalho no Corinthians, foi apoiado pela diretoria após cair diante do Guaraní na Pré-Libertadores.

Se o time for muito mal no clássico, sua situação pode começar a se complicar. Para piorar sua situação, Cássio e Pedrinho vem de atuações ruins. O goleiro falhou no gol do Guaraní e o novo camisa 10 da equipe cometeu duas faltas infantis e foi expulso ainda no primeiro tempo. 
Cássio se defendeu das críticas que recebeu de torcedores. “Quando faço as defesas, não acho que sou o responsável pelo time ser campeão.Crítica é normal, vem pelo nível de atuações que eu tive. Quando sou elogiado, não me empolgo, e quando há crítica não acho que sou o pior”. 

Pedrinho deixou o estádio em Itaquera chorando e não falou mais com os jornalistas desde a expulsão na quarta-feira. O jogador foi inscrito só ontem no Paulistão, pois até o último domingo estava com a seleção sub-23 no Pré-Olímpico da Colômbia.

No São Paulo, Fernando Diniz busca fazer o ataque ter mais efetividade. Ele poderá contar com Igor Gomes e Antony, que também estavam com a seleção sub-23. “Volto muito feliz, estava com saudade do São Paulo já, ainda mais voltar em um jogo tão importante contra o Corinthians. Não vejo a hora de entrar em campo e poder ajudar”, afirmou Antony, que pode ser titular na vaga de Pato. No meio de campo, Igor Gomes tem poucas chances de assumir a posição de Hernanes, como vinha acontecendo em 2019. Isso porque Fernando Diniz elogiou diversas vezes o setor de criação da equipe neste início de ano.

Tudo sobre: