EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

29 de Março de 2020

Santos vai ter reforço de caixa com antecipação de verba da Libertadores

Conmebol fará o adiantamento de 60% da premiação para os clubes que solicitarem em razão da paralisação

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) decidiu ontem antecipar, àqueles que solicitarem, 60% da premiação da fase de grupos para os clubes da Copa Libertadores e que se encontram na segunda fase da Copa Sul-Americana. A medida foi tomada em razão da paralisação das competições continentais, devido à pandemia do novo coronavírus. 

Com isso, Santos, Palmeiras, São Paulo, Flamengo, Grêmio, Internacional e Athletico-PR, envolvidos na fase de grupos da Libertadores, poderão receber aproximadamente 1,8 milhão de dólares (cerca de R$ 9,1 milhões) da entidade. A premiação total para as equipes que estão nas chaves da competição é de 3 milhões de dólares (R$ 15 milhões).

Já para os clubes que estão na segunda fase da Sul-Americana, como Vasco e Bahia, a Conmebol irá antecipar o total de 225 mil dólares (pouco mais de R$ 1 milhão). A presença nessa etapa oferece 375 mil dólares a cada clube (R$1,8 milhão),

O adiantamento dessa verba visa colaborar para que os clubes planejem as suas necessidades financeiras nesse período, uma vez que a paralisação do futebol faz com que as agremiações percam boa parte das suas fontes de renda. 

“Situações como essa exigem respostas rápidas e excepcionais, com o objetivo tanto de preservar a saúde da grande família do futebol sul-americano quanto para reduzir, na medida do possível, o impacto econômico da interrupção das competições", afirmou Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, em uma carta dirigida aos presidentes das Associações Membro.

Presidente da comissão dos direitos desportivos da Organização dos Advogados do Brasil (OAB),em Santos, Rafael Cobra  vê a postura da Conmebol como um bom sinal.

“Já é uma grande ajuda e um sinal de que as grandes entidades de administração do desporto não ficarão insensíveis ao prejuízo e à crise financeira que assolará os clubes. Vamos ver o que quais ações a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação Paulista de Futebol (FPF) adotarão pela frente”, disse o advogado.

Tudo sobre: