Santos tenta antecipar receitas e pensa em vender jogadores para levantar dinheiro e conter crise

Diretoria alvinegra busca recursos para garantir pagamento integral ao elenco no próximo 5º dia útil

As decisões de Everson e Eduardo Sasha de pedirem a rescisão contratual do Santos por atraso e redução salarial, além do não recolhimento do FGTS, mexeram com as estruturas da Vila Belmiro. Com o intuito de impedir que novos atletas tomem atitudes semelhantes e aumentem o prejuízo econômico e técnico da equipe, a diretoria tem tentado a antecipação de receitas. Acelerar a venda de jogadores também é uma possibilidade. 

Ao longo do dia, o presidente José Carlos Peres e os membros do Comitê de Gestão têm buscado recursos para quitar parte das dívidas e garantir aos jogadores que o próximo salário será pago.

Uma alternativa que tem sido tentada para tranquilizar o ambiente no CT Rei Pelé é a antecipação de uma receita fixa que o clube tem. O restante das pendências já existente com o elenco será quitado posteriormente, acredita a direção santista. 

Ainda com o objetivo de controlar a crise, a diretoria pode acelerar a venda dos seus jogadores com mercado no exterior, como Lucas Veríssimo, Kaio Jorge, Soteldo e Felipe Jonatan. 

Apesar das sondagens, o Santos garante que, recentemente, não recebeu nenhuma proposta por Lucas Veríssimo, tampouco por Soteldo, Kaio Jorge e Felipe Jonatan.  

De cinco a sete

No vestiário, segundo o empresário de um atleta titular do elenco que pediu para não ser identificado, entre cinco e sete jogadores - considerando Sasha e Everson - já haviam manifestado, anteriormente, o interesse de buscar os direitos na Justiça por conta dos atrasos e da redução de 70% dos salários nos últimos três meses. 

O receio de que isso ocorra por parte do clube existe. Porém, na tarde desta segunda-feira (20) o discurso da direção é de que "o efeito manada não será tão grande".

Tudo sobre: