EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

20 de Setembro de 2019

Santos tem R$ 2,6 mi bloqueados na Justiça por dívida com empresa envolvendo Neymar

Processo se refere ao pagamento de comissão pelo recebimento do Mecanismo de Solidariedade do Paris Saint-Germain ao Peixe

A FK Sports, empresa com sede em Santana do Parnaíba (SP), conseguiu na Justiça, nesta sexta-feira (6), uma ordem de bloqueio no valor de R$ 2,6 milhões do caixa do Santos por causa de uma dívida. Como o clube não tinha a quantia na conta, apenas parte do montante foi bloqueado.

A FK Sports assumiu os créditos da Quantum, grupo de Malta que na gestão do ex-presidente Modesto Roma Júnior intermediou o pagamento do Mecanismo de Solidariedade do Paris Saint-Germain ao Santos, em 2017, quando o time francês depositou a multa rescisória de Neymar, no valor de 222 milhões de euros (R$ 821 milhões), e adquiriu os seus direitos federativos do Barcelona.

A antiga gestão se valeu dos serviços da Quantum, mas a atual entende que não tem que pagar a empresa, uma vez que a verba do Mecanismo de Solidariedade deveria entrar nos cofres do clube automaticamente, por se tratar de dispositivo da Fifa.

Ou seja, não haveria a necessidade de intermediação.

A transferência de Neymar para o PSG fez o Santos receber R$ 34 milhões. Porém, para executar tal intermediação a Quantum exigiu 5% desse valor. Considerando os juros, a FK Sports cobra R$ 2,6 milhões.

Em março deste ano, o Peixe apresentou a sua defesa à Justiça para não pagar a cobrança e nela acusou Modesto e Cesar Augusto Conforti, vice-presidente no triênio 2015/2017, de “agirem de má-fé para obter enriquecimento ilícito”.

R$ 15 milhões

No início do mês passado, o Peixe teve outros R$ 15 milhões bloqueados pela Justiça devido ao processo que o escritório de advocacia Bonassa Bucker, também contratado por Modesto, move contra o clube. 

Prestadora de serviços na gestão do ex-presidente, a empresa cobra diferentes pagamentos que ainda não foram efetuados. O Peixe recorreu da decisão judicial, mas ainda não conseguiu desbloquear essa quantia.

Recurso

De acordo com o apurado por A Tribuna On-line, o Santos, que não se manifesta sobre ações em andamento, vai recorrer da decisão judicial de sexta-feira (6) e tentará, para impedir novos bloqueios financeiros em breve, oferecer a penhora de imóveis.