EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

9 de Dezembro de 2019

Rollo assume a presidência na ausência de Peres e solicita troca do Comitê de Gestão

Departamento Jurídico do Peixe contesta medida e diz que o mandatário eleito está afastado apenas de eventos oficiais

A manhã desta segunda-feira (11) foi agitada na Vila Belmiro. Com o afastamento de 15 dias do presidente do Santos, José Carlos Peres, punido no STJD devido às duras críticas feitas ao VAR, o vice-presidente do clube, Orlando Rollo, assumiu a administração do clube. 

Rollo estava afastado desde a Assembleia Geral, em setembro do ano passado. Depois de ter a permanência na presidência aprovada pelos sócios do Santos, Peres baixou uma portaria no clube que tirava todos os poderes de Rollo como vice-presidente.

Ao sentar na cadeira de presidente, Rollo encaminhou um ofício ao presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, destituindo edro Henrique Dória Mesquita, Anilton Peirão, José Bruno Carbone e Paulo Schiff do Comitê de Gestão.

No mesmo documento, o presidente em exercício indicou os nomes de Luiz Fernando de Oliveira Almeida Cardoso, Mário André Badures, Mariza Brigido e Orlando Lopes Barra para compor o grupo que toma as decisões do Santos.

A destituição, feita pelo presidente, não precisa ser aprovada pelo Conselho Deliberativo. Porém, a nomeação dos novos membros só pode ocorrer com o aval da maioria dos conselheiros em reunião extraordinária.

Apesar dos acontecimentos, o Departamento Jurídico do Santos alega que Orlando Rollo não pode ser considerado presidente, uma vez que Peres está afastado pela CBF apenas de eventos oficiais, assim podendo manter suas atividades administrativas como presidente do Peixe. Peres enviou um ofício ao Conselho com estes termos.

Tudo sobre: