EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

15 de Agosto de 2020

Jesualdo volta a sofrer com desconfiança após eliminação do Santos no Paulista

Continuidade do treinador português passa por avaliação do gerente de futebol do Peixe, William Thomas

A eliminação do Santos no Campeonato Paulista para a Ponte Preta, após a derrota por 3 a 1, na Vila Belmiro, reacendeu o sinal de alerta da torcida e da diretoria em relação ao trabalho do técnico Jesualdo Ferreira. E, às vésperas do início do Campeonato Brasileiro, que começa no próximo dia 9, a cúpula santista quer fazer correções no planejamento, incluindo uma avaliação do desempenho da equipe sob o comando do português, para mexer com o ânimo do elenco. 

Conforme o apurado por ATribuna.com.br, conversas para a execução dessas correções foram mantidas já nesta sexta-feira (31) no CT Rei Pelé. No entanto, uma mudança no comando técnico da equipe só ocorrerá após sinalização do Departamento de Futebol do clube, que tem William Thomas como gerente.  

William está com a incumbência de dialogar e avaliar o trabalho de Jesualdo antes de se posicionar para o Comitê de Gestão em reunião que está pre-agendada para acontecer virtualmente neste final de semana. A videoconferência, porém, não tem como pauta única a continuidade do trabalho do técnico.

William Thomas foi o responsável pela contratação de Jesualdo, em dezembro de 2019 (Ivan Storti/SantosFC)

Os números do Santos no Estadual jogam contra o treinador. Nas 13 partidas disputadas, o Peixe perdeu cinco, ganhou quatro e empatou as outras quatro. Assim, somou apenas 16 pontos em 39 disputados  (41% de aproveitamento considerando o duelo das quartas de final contra a Ponte Preta). 

Historicamente conhecido como o time do DNA ofensivo, o Alvinegro terminou o campeonato com 14 gols marcados e 15 sofridos. Ou seja: com -1 de saldo. 

Porém, mais do que os números negativos, o que gera desconfiança é o comportamento passivo do time nos jogos. Estática e muitas vezes sem agressividade ofensiva, a equipe é vista sem muitas das características do clube. 

Após a derrota para a Ponte, nesta quinta-feira (30), por 3 a 1, na Vila Belmiro, Jesualdo foi questionado sobre sua continuidade e afirmou que não tinha medo de ser demitido. 

"Não temo nada. A diretoria está à vontade. Nem sequer me preocupa. Que façam o que quiserem", disse o português, que está sem receber os direitos de imagem há pelo menos quatro meses e teve 70% dos vencimentos em CLT reduzidos por conta da pandemia do novo coronnavírus.

Segundo sinal

Essa é a segunda vez que diretoria e torcida demonstram preocupação com os serviços do português. Antes da paralisação dos campeonatos em razão da pandemia, o treinador viveu dias de turbulência devido às más atuações no empate por 0 a 0 com a Ferroviária, em Araraquara, e na derrota por 2 a 0 para o Ituano, em Itu.

A derrota para o Ituano, na 7ª rodada do Paulistão, trouxe a primeira turbulência para Jesualdo no Santos 

A mudança de postura no clássico contra o Palmeiras, que terminou empatado em 0 a 0, no estádio do Pacaembu, e as vitórias contra Defensa y Justicia, na Argentina, Delfín, na Vila Belmiro, ambas pela Copa Libertadores, e Mirassol, também em casa, pelo Paulista, passaram a sensação de que a equipe estava evoluindo e Jesualdo ganhou fôlego até o reinício das competições. 

Na retomada do Estadual, contudo, o Peixe apenas empatou com o Santo André, na Vila, por 1 a 1, perdeu de virada do Novorizontino, por 3 a 2, na Arena Corinthians, e acabou eliminado do Paulistão após a derrota para a Ponte Preta, em casa.

Tudo sobre: