Fifa proíbe o Santos de contratar pelas próximas três janelas de transferências

Punição foi aplicada ao Peixe nesta quarta-feira (16) pelo não pagamento de Soteldo ao Huachipato

Sem dinheiro para honrar os seus compromissos, o Santos foi mais uma vez punido pela Fifa. Ontem, a entidade que comanda o futebol mundial decretou que o Peixe não poderá registrar jogadores pelas próximas três janelas de transferências. Essa punição é referente à dívida do clube com o Huachipato, do Chile, pelo não pagamento da transferência do atacante Soteldo, contratado no início de 2019 por US$ 3,4 milhões (R$ 18 milhões).

Assine o Portal A Tribuna agora mesmo e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos

A decisão da Fifa foi noticiada inicialmente pelo GE e confirmada por ATribuna.com.br. Desta forma, a cúpula alvinegra, que já havia acertado salários com o meio-campo Elias e o zagueiro Laércio, do Caxias, do Rio Grande do Sul, terá que quitar a pendência financeira com o Hamburgo, da Alemanha, pela contratação de Cléber Reis, em 2017, e com a equipe chilena para poder reforçar o elenco nesta ou nas próximas temporadas.

Considerando as duas dívidas, o Santos terá que desembolsar cerca de R$ 48 milhões. Além dos acertos encaminhados com Elias e Laércio, a diretoria santista vinha tentando as contratações de Thaciano, do Grêmio, Matheusinho, do América-MG, e Renato Kayser, vinculado ao Cruzeiro, mas que está emprestado ao Atlético-GO.

Polêmica

A relação do Santos com o Huachipato não é das melhores. Incomodado com o não pagamento de Soteldo, um representante do clube chileno afirmou para ATribuna,com.br, no mês passado, que cogitava pedir a falência do Peixe na Fifa.

"O Santos nunca pagou nada. Não iremos pedir o retorno de Soteldo, mas vamos analisar tudo para pedir a falência do clube", desabafou o dirigente, que não quis se identificar. 

Apesar de cogitar pedir a falência do Santos na Fifa, a possibilidade de a entidade atender a essa solicitação é ínfima.

Tudo sobre: