Fifa autoriza Cueva a fechar com o Pachuca e reconhece direito de indenização ao Santos

Meia já estava treinando no time mexicano. Entidade que rege o futebol mundial permite o registro forçado e provisório do peruano

O Santos anunciou, nesta sexta-feira (14), que recebeu comunicado da Fifa sobre o caso Cueva. A decisão preliminar da entidade que rege o futebol mundial libera o registro forçado e provisório do meio-campista peruano no Pachuca, do México.

Cueva já estava treinando com o elenco do Pachuca enquanto esperava a liberação da Fifa. Ele cobra R$ 1 milhão do Santos, referente a cinco meses de atraso nos direitos de imagem. No entanto, a diretoria nega a existência dessa dívida.

A Fifa também reconheceu o direito de o Peixe pleitear indenização sobre a transferência do peruano ao clube mexicano. No contrato do jogador, está previsto o pagamento de uma cláusula para clubes do exterior com multa estipulada em 100 milhões de euros (R$ 471 milhões na cotação atual).

O meia foi contratado do Krasnodar, da Rússia, em fevereiro do ano passado, por US$ 7 milhões (cerca de R$ 29 milhões). A modalidade de seu vínculo era empréstimo com obrigação de compra dos direitos econômicos após um ano. O pagamento seria feito ao longo do vínculo do jogador, que iria até 2022. 

Ao todo, o peruano disputou 17 jogos com a camisa alvinegra. Ele não chegou a atuar por 90 minutos em nenhum desses compromissos e não marcou nenhum gol, tampouco deu assistências.

Os problemas disciplinares extracampo se somaram ao baixo rendimento de Cueva, e o atleta acabou ficando sem espaço no Santos.

Tudo sobre: