EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

16 de Setembro de 2019

Emocionado, Rodrygo sai feliz por ter salvado o Santos financeiramente

Vendido ao Real Madrid no meio do ano passado, o atacante não atuará mais com a camisa do Santos

Fora do clássico desta quarta-feira (12), contra o Corinthians, na Vila Belmiro, às 21h30, o atacante Rodrygo concedeu, nesta tarde, a sua última entrevista coletiva como jogador do Santos. Ao lado do presidente do clube, José Carlos Peres, e do pai Eric Goes, o camisa 11 não conseguiu conter a emoção pela despedida. Triste por não poder atuar diante do arquirrival, devido ao imbróglio com a CBF, o jovem recordou momentos importantes. 

No Santos desde os 9 anos de idade, Rodrygo fez questão de agradecer todo o carinho que recebeu desde que começou a sua trajetoria pelo clube.

"Agradeço ao presidente pelo moral que me deu. Agradeço por todo o respeito, sempre nos dando atenção. Estava me segurando para não chorar, os meus pais perceberam. Não é um momento triste, mas é que passa um filme desde quando cheguei até realizar o sonho de jogar no maior clube do mundo. Agradeço ao torcedor, a todos que eu conheci, limpeza, cozinha e diretores. Agradeço ao professor Luciano, meu professor na base, ao Elano que me subiu para os profissionais, todos os técnicos do profissional. Não gosto de chorar na frente dos outros, mas estou muito emocionado. Vou sentir saudade e levarei o torcedor sempre dentro do meu coração", discursou o atacante. 

Apesar de estar saindo sem a conquista de um título, Rodrygo se disse satisfeito por ter ajudado ao clube financeiramente. Segundo o presidente, a negociação do atacante com o time espanhol foi suficiente para manter as finanças alvinegras equilibradas por dois anos. 

"Eu dei o meu máximo em tudo. Se eu não pude conquistar, não sairei frustrado. Em um dos momentos mais difíceis da história do clube, pude ajudar. Temos que ser honestos aqui. Sem querer me gabar, (a venda) foi um dos maiores títulos que eu pude dar", acrescentou o jovem. 

Desde que foi promovido ao time profissional, Rodrygo participou de 83 partidas. Ao todo, marcou 17 gols e foi o autor de oito assistências. Ele, no entanto, não soube especificar qual foi o momento mais especial dessa história no Peixe. 

"Difícil escolher um momento, só o que foi mais importante, mas o preço de sair pela porta da frente, com honestidade, ter feito de tudo, é o que fica. É o que me deixa mais feliz. Sair com o carinho de todos", finalizou o atacante, que irá se despedir da torcida no gramado da Vila Belmiro, durante o intervalo do clássico contra o Timão.

Trajetória

Vendido ao Real Madrid por 45 milhões de euros (mais de R$ 190 milhões) no meio do ano passado, ainda com 17 anos, Rodrygo estreou nos profissionais do Santos em novembro de 2017, durante a vitória do Peixe sobre o Atlético-MG, por 3 a 1, na Vila Belmiro. 

A sua transferência para o clube espanhol foi a mais alta da história do futebol da América Latina. 

A sua última atuação pelo Peixe ocorreu no empate sem gols com o Internacional, no Alçapão Alvinegro. O atleta tinha planos de atuar contra o Timão, mas o imbróglio entre Santos e CBF impediu isso de acontecer.