EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

12 de Dezembro de 2018

Em crise, departamento médico do Santos deve ser reformulado ao final do ano

As justificativas para a reestruturação são falta de compromisso e de cumprimento de carga horária

O departamento médico do Santos está em vias de  passar por uma imensa reformulação. De acordo com o apurado por A Tribuna On-line, ao término da temporada todos os seis médicos do clube deverão ser dispensados. Na manhã desta segunda-feira (12), o gerente do setor, Jorge Merouço, entregou o cargo, conforme divulgado pelo Diário do Peixe, e, segundo informações obtidas pela reportagem, permanecerá na função até o final desta temporada. 

A decisão de reestruturar o departamento foi tomada nesta segunda-feira e as justificativas são “falta de compromisso e falta de cumprimento de carga horária”, revelou uma fonte para A Tribuna On-line. 

A crise no DM começou na última quinta-feira (8), quando  Carlo Alba, o médico mais antigo do clube, se desligou por divergências com o próprio Jorge Merouço. Há tempos o chefe do setor não mantinha boa relação com os demais profissionais da área e, principalmente, da fisioterapia – nesse setor, contudo, não estão programadas mudanças. 

A relação ficou ainda pior no começo da semana passada, diante da conduta médica adotada por Merouço perante o estiramento sentido pelo zagueiro Lucas Veríssimo, conforme noticiado em primeira mão por A Tribuna On-line. 

Na reapresentação do elenco santista, após a derrota por 3 a 2 para o Palmeiras, no último dia 3, o defensor foi diagnosticado com um estiramento no ligamento cruzado posterior do joelho direito, de grau 1 (sem lesão considerável). Ao constatar o problema, dois médicos do Santos entenderam que o ideal seria submeter o atleta a um tratamento à base de fisioterapia e fortalecimento muscular. 

O procedimento foi comunicado ao gerente do DM. Merouço, por sua vez, sem comunicar nenhum membro da equipe, levou Veríssimo a um instituto de reabilitação ortopédica na Capital. Lá, o médico que examinou o jogador decidiu colocar uma órtese (dispositivo imobilizador) no joelho e, com isso, o tempo de recuperação pode fazer que com que o zagueiro não atue mais em 2018.

A decisão de ignorar a conduta sugerida pelos dois profissionais que avaliaram Veríssimo causou  grande mal-estar entre os funcionários do setor e Merouço. Incomodado, Alba, então, decidiu pedir demissão do cargo. O gerente do DM ficou com um clima ainda mais desgastado na Vila Belmiro e, por isso, nesta segunda-feira, decidiu deixar o cargo. 

Questionado por A Tribuna On-line se, diante da saída de Merouço, poderia rever o seu pedido do desligamento, Carlo Alba foi taxativo. “Não. Estou fora”. Merouço também foi procurado pela Reportagem, mas não foi encontrado.