EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Edinho é recontratado pelo Santos e presidente quer prepará-lo para ser técnico de ponta

O filho do Rei Pelé já executa função com foco na formação de atletas das categorias de base do Peixe

O ex-goleiro Edinho está de volta ao Santos. O filho do Rei Pelé foi recontratado pelo Peixe, conforme antecipado por A Tribuna On-line, e já executa a função de coordenador técnico e desenvolvimento do clube, com foco na formação de atletas das categorias de base.

A informação foi confirmada para o site pelo presidente do Santos, José Carlos Peres, que tem muitos planos para o novo membro do Departamento de Base do Peixe. 

“O Edinho é uma pessoa muito preparada, e estaremos preparando ele ainda mais com cursos na Federação Paulista de Futebol (FPF), na CBF, e, se necessário, até na UEFA”, revelou o mandatário alvinegro a Reportagem.

Ainda de acordo com Peres, o ex-goleiro começou na nova função no meio desta semana e a intenção do dirigente santista é dar todo o suporte para que o filho do maior jogador de todos os tempos esteja habilitado e capacitado para ser um grande treinador de futebol no futuro. 

“O Edinho ganhou muita experiência de vida e merece todo este carinho do clube. Acreditamos, e temos certeza, de que ele galgara outros degraus no Santos e assim dar aos seus pais o orgulho de seu trabalho e dedicação”, acrescentou Peres, que não descarta, um dia, vê-lo no comando técnico do Peixe.

"Não podemos prever o futuro, mas pelo menos vamos prepará-lo para quem sabe um dia isso ocorra".

Recentemente, Edinho tentou a carreira de treinador. Ele esteve à frente de três equipes: Mogi Mirim, em 2015; Água Santa, em 2016; e Tricordiano, no ano seguinte. Este último, coincidentemente, é de Três Corações, a cidade em que Pelé nasceu.

Regime aberto

Goleiro do vice-campeonato brasileiro de 1995, Edinho deixou a Penitenciária II de Tremembé, no interior de São Paulo, no último 25 setembro e tem cumprido o restante da sua pena pelo crime de lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de entorpecentes em regime aberto. 

Ele foi preso em 2005 numa operação contra o tráfico de drogas. 

Em maio de 2014, o ex-goleiro foi condenado a 33 anos de prisão. Entretanto, em fevereiro de 2017 essa pena foi reduzida para 12 anos e 11 meses. 

Após idas e vindas da cadeia, por força de habeas corpus para aguardar o julgamento em liberdade, em junho do ano passado Edinho passou a cumprir pena no regime semiaberto, que progrediu, no final de setembro, para o regime aberto.

Tudo sobre: