Comitê de Gestão do Santos analisa segunda proposta do Al Hilal, da Arábia Saudita, por Soteldo

Peixe fez contraproposta após receber oferta de R$ 33 milhões de clube saudita

Apesar do fechamento da janela de transferência para os grandes centros da Europa, o atacante Soteldo ainda pode ser negociado pelo Santos. No último dia 9, o Al Hilal, da Arábia Saudita, apresentou uma proposta de US$ 6 milhões (R$ 33 milhões na cotação atual) ao Peixe pelo venezuelano. O time da Vila Belmiro não aceitou a oferta, mas fez uma contraproposta.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

A negociação está em andamento, e os novos valores oferecidos são analisados pelo Comitê de Gestão santista.

Na proposta inicial, conforme documento obtido por ATribuna.com.br, os sauditas se comprometeram a pagar US$ 4 milhões (R$ 22 milhões) na assinatura da transferência de Soteldo e outros US$ 2 milhões (R$ 11 milhões) em 9 de outubro de 2021.

A cúpula santista, no entanto, quer um valor maior para a venda e bônus por metas alcançadas pelo jogador com a camisa do clube interessado.

O período para contratações na Arábia Saudita segue até o próximo dia 25 de outubro. Ou seja, o Al Hilal tem mais 10 dias para convencer o Santos a negociar o seu camisa 10. 

A equipe saudita é a atual campeã da Liga dos Campeões da Ásia e tem no seu elenco o volante colombiano Gustavo Cuellar, vendido pelo Flamengo no ano passado por US$ 7,5 milhões (cerca de R$ 34 milhões na cotação da época).

O Al Hilal, aliás, foi derrotado pelo Rubro-Negro carioca na semifinal do último Mundial de Clubes, disputado em Doha, no Catar, pelo placar de 3 a 1.

Em pauta

A venda do venezuelano é analisada na Vila Belmiro, pois com o dinheiro da transação o Alvinegro conseguiria pagar os US$ 3,5 milhões que deve ao Huachipato (R$ 19,5 na cotação atual) pela aquisição de 50% dos direitos econômicos de Soteldo, em janeiro do ano passado. Além disso, quitaria as duas parcelas de US$ 387 mil (R$ 2,1 milhões) cada que faltam para o Atlético Nacional, da Colômbia, pela compra do zagueiro Felipe Aguilar.

Essas duas pendências financeiras viraram ações na Fifa, que proibiu o Santos de registrar novos jogadores pelas três próximas janelas de transferências. A sanção, em vigor desde a última terça-feira (13), deixará de valer antes do prazo determinado pela entidade caso o Peixe efetue os pagamentos ou então entre em acordo com os credores.

Se isso ocorrer, a diretoria alvinegra poderá tentar viabilizar a chegada de reforços para o técnico Cuca, que tem se queixado das poucas opções que tem no elenco.

Tudo sobre: