EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

5 de Agosto de 2020

Cadu revela drama no Santos e trabalha para voltar a jogar

O atleta se machucou no último jogo de preparação para a Copinha e ficará sem jogar de seis a oito meses

A Copa São Paulo de Futebol Júnior terminou para o Santos no último sábado (11), na eliminação frente à Ponte Preta, nos pênaltis. Para um jogador, no entanto, a competição terminou antes mesmo de a bola rolar. Titular da lateral direita, Cadu, de 17 anos, estava ansioso para a  estreia no maior campeonato de base do Brasil, mas uma lesão no joelho esquerdo, sofrida no último jogo de preparação para a Copinha,  tirou o jogador do torneio e dos gramados por todo o primeiro semestre de 2020.

Após uma disputa de bola pelo alto, o jovem rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho e teve sutura de menisco ao firmar os pés no chão. Submetido a cirurgia, Cadu já faz fisioterapia no clube.

Em recuperação, o jovem revela que não imaginava a gravidade da lesão quando tudo aconteceu. 

“Eu já estava com uma dorzinha no joelho, mas era suportável. Em um determinado momento do jogo contra o Taboão da Serra, no CT Rei Pelé, o goleiro cobrou o tiro de meta e subi de cabeça com o adversário. Na queda, o meu joelho foi para dentro e estalou. Na hora pensei em continuar em campo. Estava com o corpo quente, não senti tanto a dor, mas o médico entendeu que era melhor sair, porque estávamos às vésperas de viajar para Copinha”, conta Cadu para A Tribuna On-line

Substituído, ele foi levado para fazer exames médicos no mesmo dia. E o resultado não poderia ter sido pior. Na ressonância magnética foi detectado o rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho e isso exigiria operação. 

“Na hora chorei muito. Seria a minha primeira Copinha. Eu estava bem, era titular e estava animado. Além disso, o que me abalou ainda mais foi quando soube que teria ficar pelo menos seis meses parado. Foi complicado. Mas conversando com  meus pais  e  meus empresários, fui me tranquilizando e me conformando de que só me restava fazer o tratamento”, diz o jogador. 

Thiago de Lima (à esquerda) e Célio Rafael (à direita) são os fisioterapeutas que cuidam de Cadu

Relacionado para cinco jogos do Campeonato Brasileiro do ano passado pelo então técnico Jorge Sampaoli (contra Botafogo, Chapecoense, Avaí, Bahia e Flamengo), Cadu começou 2020 cheio de planos. Porém, esse planejamento, segundo ele, terá que mudar um pouco. 

“Eu estava na expectativa de que 2020 seria espetacular. Mas aí veio a lesão. Hoje estou bem, caí na real. Sei que tenho que focar na recuperação para deixar o joelho novo e voltar forte”, completa o garoto.

Em evolução

Fisioterapeuta das categorias de base do Santos junto com Thiago Henrique de Lima, Célio Rafael conta que, apesar de o resultado do exame não detectar, no momento da cirurgia foi constatado que a lesão tinha um agravante.

“Na ressonância magnética não apareceu, mas quando os médicos abriram o joelho para fazer a cirurgia, percebeu-se a necessidade de fazer uma sutura do menisco. A cirurgia foi muito bem sucedida e o protocolo agora é de que ele volte aos gramados em até oito meses”, explica Célio.

Apesar da lesão, o jovem lateral-direito fala com otimismo sobre a sua recuperação 

Para o sucesso da recuperação, Cadu tem feito duas sessões de fisioterapia por dia. “Essa fase inicial é de drenagem e estímulo muscular. Por conta da cirurgia, nós temos que acordar a musculatura. Aos poucos ele vai começar a ganhar força e voltar a ter a amplitude normal de movimentos do joelho”, finaliza o fisioterapeuta.

Tudo sobre: