EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

5 de Dezembro de 2019

Portuguesa Santista comemora 60 anos da conquista da Fita Azul

Em 1959, time santista venceu os 15 amistosos que disputou em excursão à África

O maior feito da história da Portuguesa Santista completou ontem 60 anos. Em 1959, a delegação rubro-verde voltou de uma excursão à África com 15 vitórias em 15 jogos. Além da marca esportiva, que lhe rendeu a Fita Azul (título concedido pela Confederação Brasileira de Desportos, CBD, atual CBF), um episódio na África do Sul fez o governo brasileiro se posicionar contra o Apartheid, regime de segregação racial do país.

O zagueiro Adelson, um dos remanescentes daquela equipe, esteve nesta terça-feira (29) no evento comemorativo realizado na sede do clube, em Ulrico Mursa. Ele tem boas recordações da África portuguesa, onde o time foi recebido com festa em cidades de Moçambique e Angola.

Mas da Cidade do Cabo, na África do Sul, as lembranças não são boas. "Na África do Sul, foi mais difícil por causa do racismo. Ia ter o jogo, só que o Bota, o Nenê e o Guilherme eram negros e veio uma reclamação por parte do governo, proibindo o jogo da Portuguesa", recordou.

O episódio fez com que o governo brasileiro, por intermédiodopresidenteJuscelino Kubitschek, se posicionasse contra o Apartheid. E levou a Briosa à campanha histórica. Na volta a Santos, após 11 dias de viagem de navio, a delegação foi recebida com entusiasmo. "Foi sensacional. De longe não se via nada, era só gente na orla da praia", disse Adelson.

Troféus resgatados

Dois troféus da campanha da Fita Azul foram resgatados pelo vice-presidente da Associação de Pesquisadores e Historiadores do Santos (Assophis), José Roberto Brandi dos Santos.

Nas pesquisas para um livro sobre o Alvinegro, ele buscava o troféu da Fita Azul do clube, conquistado em 1972. E descobriu que os troféus da Briosa estavam em uma associação onde o técnico do time em 1959, Filpo Núñez, havia morado.  "É uma alegria contribuir com a mais Briosa", disse Brandi.

Para o presidente Emerson Coelho, a conquista de 1959 vai além do esporte. "A Fita Azul transcende a questão do esporte, pois fez um governo se posicionar contra um absurdo que acontecia lá (na África do Sul). Torcedores e associados têm muito orgulho disso".

Tudo sobre: