Cruzado de esquerda incrível pode levar Hebert Conceição para o boxe profissional

Raro nocaute que o fez conquistar a medalha de ouro em Tóquio deve também abrir portas para o atleta

Por: Estadão Conteúdo  -  07/08/21  -  05:30
 Representantes de empresas de boxe profissional foram ao Japão iniciar contatos com os atletas que se destacam
Representantes de empresas de boxe profissional foram ao Japão iniciar contatos com os atletas que se destacam   Foto: Wander Roberto/COB

O raro nocaute conquistado por Hebert Conceição na final olímpica dos pesos médios (até 75 kg), neste sábado (7), e a consequente medalha de ouro poderão garantir ao brasileiro um contrato no boxe profissional. A exemplo do que ocorreu com Robson Conceição, ouro na Rio-2016, e os irmãos Esquiva e Yamaguchi Falcão, prata e bronze respectivamente em Londres-2012, o novo campeão olímpico está na mira das empresas que dominam a nobre arte internacional.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Uma das organizações com boas condições de contratar Hebert é a Top Rank, do empresário Bob Arum, que já cuida das carreiras de Robson e Esquiva. Inclusive os dois brasileiros farão lutas importantes nos próximos dias. Robson vai disputar o título mundial dos superpenas do Conselho Mundial de Boxe, dia 10 de setembro, nos Estados Unidos, enquanto Esquiva vai lutar uma eliminatória pelo cinturão dos médios.


Apesar de não ter público em Tóquio, por causa da pandemia, representantes das maiores empresas de boxe profissional foram enviados para o Japão com o objetivo de iniciar contatos com os atletas que se destacarem na Olimpíada. Um exemplo disso foi o peso pena Duke Ragan, prata entre os penas, que já foi 'parabenizado' pela Top Rank e deve assinar contrato nos próximos dias. Outro é o superpesado Bakhodir Jalolov, do Usbequistão.


Antes da final, Hebert afirmou que pretende disputar o Mundial Militar e também o próximo Mundial da Aiba (Associação Internacional de Boxe), com as regras do boxe amador, competição na qual o brasileiro terminou em terceiro em 2019.


Logo A Tribuna
Newsletter