Médico particular de Maradona é incluído em investigação de homicídio culposo

Como parte das "tarefas investigativas", considerou-se necessário "solicitar buscas na casa e no consultório do médico Leopoldo Luque", disse em nota o procurador-geral de San Isidro

Leopoldo Luque, médico particular do ídolo argentino Diego Maradona, falecido na quarta-feira devido a uma parada cardiorrespiratória, aos 60 anos, foi incluído neste domingo em investigação por homicídio culposo, após buscas realizadas em seu consultório e em sua residência, informou a agência estadual Télam.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal, GloboPlay grátis e descontos em dezenas de lojas, restaurantes e serviços!

 

De acordo com fontes oficiais, esta ação não envolve um pedido de ação ou medida restritiva de liberdade, mas sim uma notificação da abertura de inquérito sobre a eventual prática do referido crime.

Esta medida da justiça argentina foi iniciada pelos depoimentos de Dalma, Gianinna e Jana, filhas de Maradona, que informaram que estão insatisfeitas com o tratamento que foi prestado na residência do ex-jogador no bairro de Tigre, ao norte de Buenos Aires.

Como parte das "tarefas investigativas", considerou-se necessário "solicitar buscas na casa e no consultório do médico Leopoldo Luque", disse em nota o procurador-geral de San Isidro, ao norte de Buenos Aires. "Uma contínua investigação e apuração de provas, com alguns testemunhos, inclusive parentes diretos", continuou o comunicado.

A AFP tentou entrar em contato com o Luque, mas o médico não quis comentar a ação./AFP

Tudo sobre: