Infectado com covid-19, Felipe Borges é 3ª baixa do Brasil no Mundial de Handebol

Casos positivos do novo coronavírus já haviam retirado da competição o goleiro Leonardo Terçariol e o lateral-esquerdo Thiagus Petrus

A menos de um dia da estreia contra a Espanha, o Brasil ganhou mais um desfalque para o Mundial de Handebol Masculino, que está sendo disputado no Egito. Nesta quinta-feira (14), a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) anunciou que o ponta esquerda Felipe Borges testou positivo para a covid-19 ao desembarcar no Cairo, na última quarta.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

O jogador é a terceira baixa na seleção brasileira para o Mundial. Casos positivos do novo coronavírus já haviam retirado da competição o goleiro Leonardo Terçariol e o lateral-esquerdo Thiagus Petrus. Cinco membros da comissão técnica, incluindo o técnico Marcus Tatá, também foram infectados pela covid-19 nos últimos dias.

Felipe Borges é um dos jogadores mais experientes do Brasil, com seis Mundiais no currículo, além de ter disputado os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Sem ele, o Brasil só conta com Cleber de Andrade para a posição da ponta esquerda. A CBHb ainda vai anunciar um suplente para a vaga.

"A Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) informa que um novo resultado positivo para Covid-19 foi detectado na delegação brasileira, após a realização de testes PCR, na chegada da delegação brasileira ao Egito para participar no 27.º Campeonato Mundial de Handebol Masculino. O ponta esquerda Felipe Borges está assintomático, cumprindo todos os protocolos estabelecidos pela organização do Campeonato Mundial. O atleta também está recebendo acompanhamento diário do médico da CBHb, Alexandre Paiva. A CBHb está dando todo o suporte ao atleta e ao grupo que faz sua primeira partida na competição nesta sexta-feira (15/jan). Em breve a CBHb divulgará mais informações", divulgou a entidade nas redes sociais.

A seleção brasileira fez a sua preparação na cidade portuguesa de Rio Maior, isolada em uma bolha no centro de treinamento que tem parceria com o Comitê Olímpico do Brasil (COB). Os brasileiros embarcariam para o Egito na última sexta-feira, mas os casos positivos alteraram a programação. Nos últimos dias, o time fez apenas treinos individuais para evitar espalhar o vírus na equipe.

Outras seleções também estão sofrendo com casos de covid-19. República Tcheca e Estados Unidos tiveram de desistir do Mundial e foram substituídas de última hora por Macedônia e Suíça.

Tudo sobre: