EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

6 de Dezembro de 2019

Goleiro do tri, Rafael justifica escolha pela Inglaterra e diz acompanhar Sampaoli de longe

O arqueiro campeão da Libertadores pelo Santos é novo reforço do Reading, da segunda divisão da Inglaterra, para a temporada

O torcedor santista recorda com carinho de Rafael Cabral, o goleiro que defendia a meta do Santos naquela noite de 22 de junho de 2011, quando o Santos conquistou a América pela terceira vez. Depois de seis anos no futebol italiano, onde passou pelo Napoli e pela Sampdoria, o arqueiro do tri da Libertadores está de casa nova, a Inglaterra, e, mesmo longe, diz estar acompanhando o trabalho de Jorge Sampaoli à frente do Peixe.

Rafael rescindiu seu contrato com a Samp este mês após ter recebido uma proposta do Reading FC, que compete a Championship, a segunda divisão inglesa e um dos campeonatos considerados mais difíceis do mundo. "Sempre tive como um objetivo jogar no futebol inglês por diversos motivos, como a estrutura dos clubes e o nível do campeonato", disse à Tribuna On-Line.

Foi em 2013 que o goleiro deixou o Santos e rumou à Itália, em uma transferência que teve valor recorde para um arqueiro saindo do Brasil para o exterior (5 milhões de euros) até 2016, quando Alisson tirou seu posto. No Napoli, levantou o caneco duas vezes e desfrutou da titularidade na maior parte de sua segunda temporada com os partenopei, em 2014/15, quando fez, ao todo 32 jogos. Lá, ainda é muito bem quisto pelo clube e pela torcida.

Na Sampdoria, Rafael teve pouco espaço, e com o interesse do Reading, ele e sua esposa decidiram que era o "momento ideal" essa mudança para a Inglaterra. "Conversei com a Sampdoria sobre meu desejo de ir embora e consegui a liberaração por eu sempre ter tido uma ótima relação com eles, tudo muito às claras", contou o jogador.

O anúncio da contratação por parte do clube do sudeste da Inglaterra foi feito no último dia 6. Uma semana depois, o Reading encarou jogo decisivo contra o Wycombe Wanderers, pela Copa da Liga Inglesa, e lá estava Rafael como titular. O duelo terminou empatado em 1 a 1 no tempo regulamentar, e, nos pênaltis, o brasileiro se consagrou e ajudou sua nova equipe a assegurar a classificação.

"Foi uma estreia muito além das minhas expectativas. O Reading manifestou interesse em me trazer para que, com a minha experiência tanto no Brasil como na Europa, eu pudesse ajudar o clube a conquistar os objetivos", afirmou ele, que, até o momento, está invicto na Inglaterra. No último fim de semana, ele esteve presente debaixo das traves do Reading na vitória por 3 a 0 sobre o Cardiff, pelo campeonato inglês.

"Os jogos aqui são alucinantes. Uma intensidade incrível. Você tem que suar até o último segundo para vencer o jogo. Todos os times são fortes, competitivos", falou ainda o goleiro, que revelou que o objetivo do clube em 2019/20 é conquistar o acesso para a Premier League. O Reading, no entanto, lutou contra o descenso nas duas últimas temporadas, ficando em 20º lugar em ambas.

Proposta do São Paulo?

Em 2016 e no ano passado, boatos de que São Paulo estava negociando com Rafael animaram tricolores nas redes sociais. Porém, segundo o goleiro, nunca houve uma negociação. "Tenho vários amigos no clube, tanto na diretoria quanto na comissão técnica, mas nunca teve nada. Voltar ao Brasil nunca foi prioridade", admitiu ele, que também disse nunca ter conversado com o Santos sobre um possível retorno ao clube alvinegro. 

Em junho, Rafael revisitou o Santos durante treino do time no CT Rei Pelé (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Longe, mas de olho no Santos de Sampaoli

Mesmo do outro lado do Oceano Atlântico, Rafael não está alheio ao que está acontecendo na Vila Belmiro. Em junho, o eleito melhor goleiro da Libertadores de 2011 esteve presente no estádio do Peixe para acompanhar a partida contra o Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro, vencida pelos santistas por 3 a 1. 

O novo jogador do Reading está antenado no trabalho que Sampaoli vem exercendo com o Santos e também acredita que o Alvinegro Praiano está "muito bem servido" de goleiros. "É claro que estou acompanhando o Sampaoli. Ele mora no nosso apartamento em Santos. É um cara sensacional e que merece tudo o que está conquistando e vivendo. Espero que consiga conquistar coisas grandes. E os goleiros são ótimos, com características diferentes, mas qualidades indiscutíveis. É um pecado um deles ficar de fora", opinou.

Desejo de vestir a amarelinha de novo

Com as lesões de Alisson e Neto, atletas que Tite gosta e pensa em contar na seleção brasileira, abriram vagas para a posição, que foram preenchidas por Ivan, da Ponte Preta, e Weverton, do Palmeiras. O desejo de voltar a vestir a amarelinha, porém, segue aceso para Rafael.

"Já estive várias vezes na Seleção. Já fui de titular, de segundo goleiro, de terceiro. Conheço bem o ambiente e quem conhece o ambiente, que é sensacional, diga-se de passagem. É impossível não sonhar em voltar. Agora, se sou uma opção na cabeça do Tite, não consigo responder", falou ele, que garantiu que estará preparado para uma eventual convocação.

Tudo sobre: