Flamengo faz acordo com a família de sétima vítima da tragédia do Ninho do Urubu

Com este acordo, restam três acertos a serem feitos. Arthur Vinícius, Christian Esmerio, Pablo Henrique e o lado materno de Rykelmo, que entrou com uma ação judicial contra o clube

A diretoria do Flamengo anunciou, nesta segunda-feira (27), que chegou a um acordo de indenização com a família do lateral-direito Samuel Thomas Rosa, representada pela Defensoria Pública, uma das dez vítimas da tragédia no Ninho do Urubu, que aconteceu no dia 8 de fevereiro de 2019.

"É verdade. Fechamos com mais uma família. Contudo, nos foi pedida máxima discrição. Portanto, em respeito à família não passarei maiores informações. Nosso compromisso é trabalhar com respeito máximo e a seriedade que esse assunto demanda", escreveu Rodrigo Dunshee de Abranches, vice-presidente jurídico e geral do Flamengo.

Com este acordo, restam três acertos a serem feitos. Arthur Vinícius, Christian Esmerio, Pablo Henrique e o lado materno de Rykelmo, que entrou com uma ação judicial contra o Flamengo e pede um valor de R$ 6,9 milhões.

As famílias de Jorge Eduardo, Athila Paixão, Gedinho, Rykelmo (lado paterno), Vitor Izaias e Bernado Pisetta também já acertaram o valor da indenização a que terão direito.

Apesar dos acordos, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro havia anunciado em junho que decidira denunciar oito pessoas pelo incêndio no Ninho do Urubu, em 8 de fevereiro de 2019, que causou a morte de dez atletas das categorias de base do clube, além de ferir outros três. Segundo o MP-RJ, eles vão responder por incêndio culposo (sem intenção). Entre os acusados, está Eduardo Bandeira de Mello, que presidiu o Flamengo entre janeiro de 2013 e dezembro de 2018.

Tudo sobre: