EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

11 de Dezembro de 2018

Jovens de Guarujá vendem trufas no semáforo para disputar torneio de jiu-jitsu nos EUA

Moradores de Vicente de Carvalho, Brendha, Nirvana e Yuri buscam recursos para a viagem

Três jovens atletas de Guarujá correm contra o tempo em busca de recursos para disputar um torneio internacional de jiu-jitsu, nos Estados Unidos. Brendha, Nirvana e Yuri, de 11, 12 e 14 anos, moradores de Vicente de Carvalho, começaram a vender trufas nos semáforos da Cidade, em setembro, para custear uma viagem de "bate e volta" ao país norte-americano para a disputa do Pan Kids.

A competição, que será realizada no dia 13 de fevereiro, em Long Beach, na Califórnia, é organizada pela Federação Internacional de Jiu-Jitsu (IBJJF, na sigla em inglês) e é destinada a crianças e adolescentes de 3 a 14 anos. 

Professor da rede municipal de Santos, Wagner Costa é pai de Nirvana e conta que a filha e os dois colegas são talentos promissores no esporte e merecem a chance de disputar o torneio nos EUA.

"Eles ganham títulos em todos os campeonatos que participam. Recentemente fomos ao Rio de Janeiro para uma competição e os três ganharam. O Yuri, por exemplo, é um menino que mora em uma área muito pobre do bairro, mas ele é bom demais. Ele luta com garotos mais velhos e ganha com facilidade", conta com empolgação. 

Vender doces nos semáforos se tornou a solução para os guarujaenses (Foto: Reprodução)

No entanto, apesar do talento dos jovens, Wagner conta que não tem sido fácil captar recursos para realizar a viagem. 

"Eles são adolescentes, é muito difícil conseguir patrocínio. Além disso, a Secretaria de Esportes não faz muito esforço para ajudar. O jeito é vender os docinhos e ir juntando dinheiro. O problema é que eles treinam e os pais trabalham, então não dá para vender todos os dias", explica.

Mesmo com as dificuldades, todos já conseguiram tirar passaporte e aguardam para conseguir o visto americano. Agora, faltam as passagens aéreas e as inscrições para o torneio.

"Estamos conversando com alguns empresários para que as passagens sejam doadas. Viajar para os EUA assim é muito caro, sai quase R$ 4 mil por pessoa. Não tem como a gente arrecadar tudo isso. O lado bom é que um conhecido nosso tem uma academia na Califórnia e nos ofereceu "abrigo" nos dias em que estaremos por lá. A gente dorme no tatame mesmo, não tem problema", afirma.

Em nota, a Prefeitura de Guarujá se manifestou sobre o assunto e explicou que há um Programa de Incentivo ao Esporte no município, mas que os atletas devem se atentar aos prazos de inscrições para receber o Bolsa-Atleta. Confira na integra:

"A Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Sedel) de Guarujá informa que o Município atualmente, o Programa de Incentivo ao Esporte beneficia atualmente 379 atletas da Cidade, o que representa um aumento de mais de 10% em relação ao ano passado, quando 336 esportistas receberam a bolsa. O Programa é instituído por meio da Lei 4475/2017 e para pleitear a concessão ao incentivo, o esportista precisa esperar abrir inscrições para o Bolsa-Atleta, o que deve ocorrer no início do próximo ano, e preencher alguns requisitos. Entre eles: residir no Município ou ter inscrição na Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Lazer no exercício imediatamente anterior; ser brasileiro nato ou naturalizado; ter idade mínima de 12 anos; estar em plena atividade esportiva; ser atleta federado pelo Município ou por instituição esportiva de prática situada no mesmo."

Nirvana foi campeã do Circuito Internacional de Jiu Jitsu, em São Paulo (Foto: Divulgação)