EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

26 de Março de 2019

Roberto Debski

Roberto Debski mora em Santos, é médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos e psicólogo formado pela Universidade Católica de Santos. É especialista em acupuntura e homeopatia pela Associação Médica Brasileira, pós graduado em Atenção Primária à Saúde e tem diversas formações em Práticas Integrativas e Complementares, Meditação, Constelações Familiares Sistêmicas, EMDR e Coaching. Com foco na saúde física, mental e Qualidade de Vida, estimula a mudança no comportamento, no estilo de vida e na consciência, a fim de melhorar os resultados dos tratamentos clínicos, dos relacionamentos interpessoais e do bem estar.

Amor de avós!

Na atualidade em geral ambos, pai e mãe trabalham fora, tem pouco tempo, as vezes o orçamento apertado e acabam dependendo dos seus próprios pais para cuidar de seus filhos.

O que isso pode acarretar nas famílias?

Como esses avós, tão solicitados devem lidar com essas requisições?

Os avós cuidam de seus netos melhor que os próprios pais?

Devem assumir compromissos financeiros dos filhos e netos em detrimento dos seus?

São muitas questões sobre o que é certo e errado que podem gerar conflitos decorrentes desses novos modelos de famílias.

Quais são os novos papéis dos avós na vida das crianças?

Atualmente os avós desempenham diversos papéis nas vidas dos netos, muitos esperados e desejados, e muitos deles indevidos.

Muitos avós assumem funções que não deveriam ser suas como cuidar todos os dias dos netos, com cuidados diários que deveriam ser dos pais.

Não que não possam faze-lo, mas também não são obrigados e desempenhar tudo o que se espera deles.

Atendo muitas avós e avôs que adoecem por assumirem cuidados em uma carga horária excessiva com os netos não lhes sobrando tempo nem para cuidarem de si mesmos.

Na maioria das vezes abandonam atividades importantes para sua faixa etária como a atividade física e os cuidados essenciais com sua própria saúde para cuidarem exclusivamente dos netos e servirem a família.

Os avós são muito importantes na criação dos netos, especialmente quando são sábios e amorosos, se tornando necessários aos netos para ensinar e acolhê-los com seu olhar cuidadoso e experiente.

Quando estão presentes, ajudam durante seu crescimento sendo um modelo de amor importante e complementar ao dos pais nessa importante fase de seu desenvolvimento.

Quando saudáveis, os avós, com sua experiência de vida podem ajudar seus netos e a família a superar diversos desafios de uma maneira mais efetiva e amorosa.

São testemunhas e transmissores da história da família e do mundo, dão exemplos de vida, tem um olhar experiente e caloroso, ensinam brincadeiras, músicas e maneiras diversas de ver o mundo.

Hoje, como todos, os avós também são homens e mulheres ocupados, trabalham, são voluntários, saem com grupos de amigos tem diversas atividades e muitos voltam a estudar.

Conciliar isso com o papel de avós seria tranquilo se não tivessem que desempenhar papéis que não deveriam ser seus como cuidar dos netos diariamente por várias horas ou sustentar a família, pagar escola e diversas contas, até mesmo quando o orçamento é apertado.

Isso deve ser função dos pais.

Quando o fazem, geralmente abrem mão de suas necessidades pessoais, muitas vezes ao preço de sua saúde.

Os avós devem cuidar para que a relação de com seus netos e filhos não atrapalhe sua vida pessoal, pois é fundamental nessa fase que mantenham seus projetos e cuidados com sua vida e sua saúde, lembrando que já cumpriram no seu tempo devido o papel de mães e pais.

Algumas dicas são fundamentais para que exista uma convivência harmoniosa entre os avós, seus filhos e netos.

A dica principal é que sejam avós e não tentem ser mães ou pais, não se coloquem nem aceitem ser colocadas fora de suas funções.

Também não assumam o papel dos pais, não queiram ser mais importantes para seus netos que os próprios pais e não aceitem assumir papéis que deveriam originalmente ser dos pais.

Saibam colocar limites e manter sua individualidade e seus projetos. Cuidem dos netos, da relação familiar, e de si próprios.

Ninguém pode fazer nada bem feito se estiver doente e sofrendo.

A base da educação deve sempre vir dos pais, e os avós, com sua experiência de vida podem ser uma fonte de amor, acolhimento, experiência e cuidado, ajudando de maneira saudável e segura os pais a cuidar melhor de seus filhos, dando as crianças um modelo de relação afetiva que levarão para toda a suas vidas, de forma inesquecível.

Roberto Debski

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.