EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

21 de Janeiro de 2019

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino, Alexandre Fernandes e Bruno Gutierrez. O quarteto traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Rodrigo Caio merece uma segunda chance

Ele não é um craque, mas tem condição de jogar bem em outro time brasileiro

Rodrigo Caio no Grêmio, no Santos, no Barcelona, no Flamengo... Pelo visto, não faltam interessados no zagueiro, que surgiu como promessa e recebeu convocações para a Seleção Brasileira, mas se transformou em vilão para a torcida do São Paulo. Independentemente de quem tenha razão, o jogador merece uma segunda chance.

Longe de ser um craque, e sem futebol para jogar em grandes clubes do futebol europeu – pelo menos levando em conta o que se viu até hoje –, Rodrigo Caio tem bola para se firmar em um bom time brasileiro. No São Paulo, a péssima fase administrativa do clube, razão principal do longo jejum de títulos, atrapalhou não apenas ele, mas tantos outros que saíram e se encontraram com outras camisas, como Casemiro, no Real Madrid, e Maicon, no Grêmio. Como é o jogador mais antigo do elenco, Rodrigo Caio acaba pagando a maior parte da conta.

Entretanto, ao chegar ao novo clube, o zagueiro tem de rever conceitos dentro e fora das quatro linhas. Em campo, ele precisa atuar com mais concentração e firmeza. No São Paulo, não foram poucas as vezes em que o zagueiro falhou na saída de bola e na marcação e colocou a defesa em apuros. 

Fora de campo, não é possível repetir atitudes como o desabafo feito no começo do mês. Afinal, por mais que tenha razão em boa parte de sua argumentação, ele não pode esquecer que ainda é jogador do São Paulo.

Seja como for, o fato é que Rodrigo Caio precisa deixar o Morumbi. Não há mais clima para ele por lá. Se fizer como em outras ocasiões, nas quais rejeitou propostas de times intermediários da Europa em nome do bom salário que recebe, ele vai acabar ampliando o problema. Dele e do São Paulo.